PUBLICIDADE

Topo

Gelatina pode até reforçar cabelos e unhas, mas não a de supermercados

Getty Images
Imagem: Getty Images

Thais Szego

Colaboração para o VivaBem

10/05/2021 04h00

Ela é figurinha fácil no cardápio da turma que faz dieta, e não é para menos: poucas sobremesas são tão pobres em calorias e fáceis de preparar. Há ainda quem acredite que seus efeitos benéficos vão além da silhueta esbelta. Em teoria, a gelatina seria capaz de dar uma força extra para várias estruturas do corpo, como a pele, os cabelos, as unhas, os ossos e as articulações.

O raciocínio faz sentido, já que o alimento é composto por aminoácidos, moléculas que formam as proteínas e que favorecem a síntese do colágeno, substância que dá sustentação aos tecidos. No entanto, para obter tais ganhos, não adianta ingerir aquelas gelatinas vendidas em supermercados. Na verdade, a maioria dos produtos desse tipo não é muito saudável. "Elas oferecem uma quantidade bem baixa de colágeno e grande parte ainda contém muito açúcar, corantes e conservantes", explica Janaína Vilhora, nutricionista do Hospital San Gennaro, na capital paulista.

Por isso, se o objetivo é ir além da perda de peso, o indicado é comprá-la em lojas de produtos naturais ou suplementos. "Para obter esses resultados de maneira eficaz, o ideal é optar pelo colágeno hidrolisado, ou seja, quebrado em moléculas com tamanhos diferentes", orienta a nutricionista Vanderli Marchiori, de São Paulo.

Entre a versão em cápsulas e a em pó, o melhor é apostar na segunda opção. Ambas oferecem os mesmos benefícios, mas as cápsulas normalmente têm apenas 500 miligramas do produto e a dose diária recomendada para garantir os benefícios é de 10 gramas —seriam necessárias 20 unidades. Já no caso do pó, uma colher (de sobremesa) dá conta do recado. Isso sem falar que a absorção nesse caso é mais rápida.

Gelatina - iStock - iStock
Versão industrializada contém muito açúcar, corantes e conservantes
Imagem: iStock

Já para quem deseja baixar o ponteiro da balança, a gelatina pode ser usada na forma de suplemento ou alimento, de preferência nas opções mais naturais, sem corante, conservantes ou açúcar, e ingerida como sobremesa. O produto também pode ser adicionado a receitas doces e salgadas, como mousses, sopas, sucos e sorvetes. Também é uma boa ideia ingeri-la cerca de 30 minutos antes das refeições, pois ela se liga a uma grande quantidade de água e aumenta a sensação de saciedade, diminuindo os riscos de exageros à mesa.

Entretanto, é bom deixar claro que a gelatina dá uma mãozinha para proporcionar esses resultados, mas a sua ingestão não faz sentido se não for acompanhada por uma dieta equilibrada, pela prática de atividade física, além de cuidados como evitar o excesso de sol. Além disso, em casos de perda acentuada de cabelos, fragilidades nas unhas, sinais muito acelerados de envelhecimento na pele e dores pelo corpo, como as articulares, e muita dificuldade para manter o peso, é necessário procurar um especialista.

Afinal, do que é feita a gelatina?

Ela é extraída da pele, cartilagens e dos ossos bovinos, que são riquíssimos em colágeno, a proteína mais importante na formação dos tecidos do corpo e do esqueleto. Esses ingredientes passam por um processo físico e químico para converter a proteína insolúvel, o colágeno, em solúvel, a gelatina. Por isso os veganos devem optar pelo ágar-ágar. Essa vibra vegetal com efeito gelatinoso proveniente de alguns tipos de algas não oferece menos lucros para o corpo que o produto de origem animal. O ágar-ágar também garante saciedade e funciona como um docinho com poucas calorias.