PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Sex/Life: 5 dicas de sexo e relacionamento da série para usar na sua vida

Série deu o que falar por mostrar uma perspectiva feminina do sexo - Reprodução / Internet
Série deu o que falar por mostrar uma perspectiva feminina do sexo Imagem: Reprodução / Internet

Júlia Flores

De Universa

10/07/2021 14h59

"Sex/Life" é a série mais comentada do momento. A produção da Netflix estreou no dia 25 de junho e já domina as redes sociais, não só pelo conteúdo erótico da mesma (como o nude do protagonista que virou meme no Tik Tok), mas também por empregar um olhar feminino ao prazer.

A série conta a história de Billie (Sarah Shahi), uma mulher com cerca de 30 anos que largou a carreira e a vida de aventuras para se casar com o homem dos sonhos, Cooper (Mike Vogel), e criar os dois filhos do casal. Com o tempo, ela se vê presa à rotina e começa a questionar o relacionamento por sentir falta de uma conexão sexual com o marido.

Para tentar se lembrar da Billie "de antes", a protagonista passa a escrever em um diário as aventuras selvagens que teve com o ex-namorado (Adam Demos). Cooper encontra o diário e a partir daí a brincadeira começa. Para além dos clichês em que a série escorrega, a produção traz valiosos ensinamentos sobre relacionamento e sexualidade.

Conversamos com duas especialistas para explorar um pouco mais do que a gente pode aprender com "Sex/Life":

Aposte nas preliminares

Trecho da série 'Sex/Life' - Divulgação - Divulgação
Trecho da série 'Sex/Life'
Imagem: Divulgação

Desde o primeiro episódio a série mostra cenas da protagonista recebendo sexo oral e sendo masturbada pelos parceiros. A sexóloga Cláudia Renzi explica por que isso é importante para que a mulher chegue ao máximo do prazer: "A curva orgástica da mulher é diferente da do homem. Nosso sistema de recompensa não é igual, não temos prazer apenas com penetração".

Além do mais, a especialista também fala sobre a importância de "criar uma atmosfera" para que a parceira esteja confortável e relaxada. "Trate bem, seja gentil, faça coisas que ela goste. Temos memórias, sexo não é só sexo", argumenta.

Este, inclusive, é uma das frases repetidas na série: sexo nem sempre é só sobre sexo. Em entrevista a Universa, a atriz Sarah Shahi falou sobre o assunto. "Quando existe mais comunicação entre o casal, o sexo também melhora. Eu acho que se você está uma relação em que não se sente segura, então o sexo não será tão bom. Para mim, pelo menos, sexo e comunicação são essenciais, interligados. Se você tem problemas no seu relacionamento, você terá problemas na sua vida sexual", disse.

Saia da cama: faça sexo em lugares diferentes

No carro, na balada, no bar... O casal Sarah e Brad não "tinha frescura" na hora de escolher um lugar para transar — o que apimentava ainda mais a relação, além de criar memórias únicas.

A sexóloga Lelah Monteiro dá dicas para o casal que quer apostar em novos locais para fazer sexo. "Ter sintonia é essencial. Além disso, tenha cuidado com a segurança física e com a saúde sexual. Mesmo que seja só uma rapidinha, use sempre preservativo. Do resto, é só escolher o lugar que mais faça sentido para vocês".

Ciúmes do passado? Tente descobrir o que a sua parceira gosta

Billie (Sarah Shahi) e Cooper (Mike Vogel) discutem a relação. Em "Sex Life", os dois enfrentam problemas no casamento - Netflix - Netflix
Billie (Sarah Shahi) e Cooper (Mike Vogel) discutem a relação. Em "Sex Life", os dois enfrentam problemas no casamento
Imagem: Netflix

Depois que Cooper lê o diário de Billie e encontra relatos dela sobre o sexo com o ex-namorado, ao invés de ficar com ciúmes, ele tenta melhorar e "copiar" a performance sexual de Brad. Descobrir o que a parceira gosta, sente tesão, é essencial para que a química do casal melhore.

Apostar no prazer feminino é a grande sacada da série. E foi isso que a produtora Stacy Rukeyser tentou trazer para a produção. "Buscamos mostrar e explorar o sexo que nós, mulheres, queremos fazer, que nós fantasiamos a respeito, que nós conversamos a respeito. É revolucionário dizer que nós queremos transar mais, de um jeito melhor. Sexualidade é um aspecto da mulher que merece ser não só reconhecido, mas também celebrado. É ok ser uma mulher mais velha, com filhos, que também gosta de sexo", diz.

Billie ou Sasha: considere o sexo uma parte importante da sua vida

Sasha (Margaret Odette) é a melhor amiga da protagonista Billie na série Sex Life - Netflix - Netflix
Sasha (Margaret Odette) é a melhor amiga da protagonista Billie na série Sex Life
Imagem: Netflix

Outra personagem que chama atenção na série é a melhor amiga da protagonista. Sasha (Margaret Odette) é uma mulher independente, focada na carreira, com a vida sexual ativa - e, ao mesmo tempo -, solteira e feliz.

"Para mim, essa personagem merecia até mais destaque do que ganhou. O jeito como ela enxerga a sexualidade é incrível, de uma maneira leve e saudável. Coisa que é difícil para muitas mulheres, que ainda têm uma imagem ora romantizada, ora moralista do sexo", comenta Lelah.

A atriz Margaret Odette se inspira na personagem. "Este papel foi muito importante para mim, porque acredito que é necessário falarmos sobre liberdade sexual feminina. O melhor jeito de quebrar tabus é apoiando uma às outras, sem julgamentos. Temos que celebrar e comemorar nossa sexualidade", afirmou a Universa.

Encontre o melhor modelo de relacionamento para você

Por fim, mas não menos importante, um dos pontos que a série traz para debate é como modelos pré-definidos de relacionamento não funcionam para todo mundo. O importante é que cada casal defina suas expectativas, converse sobre o assunto, compartilhe as vontades e desejos.

Billie, por exemplo, fica infeliz no casamento e passa a questionar a monogamia. Para a especialista Claudia Renzi, este é um passo normal, que não significa desinteresse: "Fomos ensinados a seguir um modelo de relacionamento em que só temos um parceiro. Nem sempre isso dá certo. Podemos amar alguém e transar com outros, por exemplo".

Este é o mesmo pensamento da atriz Margaret Odette. "Eu acredito em monogamia, mas não acredito que valores não podem ser questionados. Eu acho que cada um tem que correr atrás de relações e parceiros que mais se encaixem no jeito que você gosta de se relacionar. O que importa é que todos concordem com a situação", defende.

Sexo