PUBLICIDADE

Topo

Minha história

Tenente realiza sonho de menina de 11 anos com câncer de conhecer uma PM

Internada com câncer em hospital de Ipatinga (MG), Isabelly Pereira, 11, sonhava conhecer uma policial; ela recebeu visita de uma PM e ganhou bonecas personalizadas - Arquivo pessoal
Internada com câncer em hospital de Ipatinga (MG), Isabelly Pereira, 11, sonhava conhecer uma policial; ela recebeu visita de uma PM e ganhou bonecas personalizadas Imagem: Arquivo pessoal

Cledeane de Paula Garcia, em depoimento a Ed Rodrigues

Colaboração para Universa

27/06/2021 04h00

"Sou policial militar há 19 anos. Não era um sonho meu, mas aprendi a gostar da profissão por meio do exemplo do meu pai, que também é militar. Bons exemplos arrastam as pessoas.

Recentemente, o pessoal do Hospital Márcio Cunha, aqui de Ipatinga (MG), nos enviou um e-mail falando de uma paciente de 11 anos que estava internada para tratar um câncer, a Isabelly Pereira. O hospital promoveu uma atividade, uma aula sobre as diversas profissões, e a Isabelly comentou que queria saber mais sobre o trabalho de uma policial. E pediram nossa ajuda para responder às dúvidas dela.

cledeane - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Cledeane de Paula Garcia, tenente da PM em Ipatinga (MG), com a menina Isabelly Pereira, 11, que luta contra um câncer
Imagem: Arquivo pessoal

E nós decidimos que levaríamos as respostas até ela, pessoalmente, já que está em um tratamento complicado. Nossa equipe se dedicou em produzir algo que fosse simples para ela compreender, mas intenso. Queríamos muito fazer uma visita, mas tínhamos que aguardar que a saúde dela permitisse.

Nosso primeiro contato com ela foi através de uma conversa de vídeo. E, posteriormente, gravamos alguns vídeos com imagens de outras policiais contando um pouco de suas experiências profissionais, com mensagens de força e carinho. Logo depois, tivemos a ideia de confeccionar uma boneca personalizada. Assim, após a visita, um pouquinho de nós poderia ficar com ela.

Quando tudo estava combinado para a visita, a Isabelly teve que passar por um procedimento cirúrgico que nos obrigou a esperar. Mas já na sala de recuperação, ela nos enviou um vídeo, dizendo que tudo estava bem.

Então, decidimos dedicar um dia do nosso turno de trabalho, patrulhando a cidade, em homenagem à nossa guerreira. Todo o turno operacional trabalhou em sua homenagem. Até o Drax , nosso cão, carregou um lencinho no pescoço com o nome dela gravado para homenageá-la.

"Senti a necessidade de ser uma pessoa melhor"

cledeane - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Cledeane diz que o trabalho de um policial vai além de combater o crime
Imagem: Arquivo pessoal

Quando a Isabelly se recuperou da cirurgia, nosso encontro aconteceu. Foi emocionante. Ser o sonho profissional de alguém tão especial é muito gratificante.

Quando ela nos viu, ficou sem reação. Nos olhou, olhou para mãe, para os funcionários do hospital... 'É uma visita para você, Isabelly', disse um funcionário do hospital. Os olhos dela brilharam. A situação dela é muito delicada, mas abriu um sorriso. E sorriu mais ainda com a entrega das bonecas.

Dentro de mim, senti a necessidade de ser melhor. A vida se resume a servir ao outro, isso é o importante. A função do policial vai além do combate ao crime, tenho certeza. A atitude das crianças é uma das provas, elas nos veem como heróis e heroínas. Só sente isso quem é olhado dessa forma. Os olhos brilham. Tem silêncio para nos ouvir. É como se nossas palavras alimentassem a alma de cada uma.

"Policial mulher faz tudo que o homem faz?"

Uma das primeiras perguntas dela foi se a gente faz tudo que os homens fazem. Respondi: 'claro que sim, Bela, mas com a leveza e a determinação da mulher'.

Mas também disse a ela que, para mim, não existe diferença entre os sonhos dos homens e das mulheres. Todos são sonhos. E podem ser alcançados a depender da determinação de cada um. O importante é procurar sempre melhorar como pessoa. Podemos e devemos ser sempre melhores. Começando por aqueles que estão perto de nós e estendendo aos demais que passarem pelo percurso da nossa vida.

Não permitamos que ninguém saia da nossa presença sem se sentir melhor. Quer seja homem ou mulher, todos temos uma missão a cumprir. Nossos sonhos já são nossos por direito."

* Cledeane de Paula Garcia é tenente do 14° Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais

Minha história