PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Skinbooster é o tratamento da vez contra a flacidez da pele do rosto

No procedimento, o dermatologista injeta ácido hialurônico na pele para estimular a produção de colágeno - iStock
No procedimento, o dermatologista injeta ácido hialurônico na pele para estimular a produção de colágeno Imagem: iStock

Luana Kondrat

Colaboração para Universa

20/04/2021 04h00

Se a nossa pele fosse um colchão, o colágeno faria o papel das molas e o ácido hialurônico ocuparia o espaço da espuma. Essa analogia simples ajuda a entender a importância das duas substâncias para a firmeza e o volume: a primeira garante sustentação, enquanto a segunda é responsável pelo preenchimento e pela retenção de água.

Com o passar dos anos, essas reservas naturais diminuem e exigem manutenção. Felizmente, quem deseja ir além dos cremes conta com um arsenal de opções em consultório também. É o caso da técnica chamada de skinbooster, que distribui aplicações injetáveis de ácido hialurônico sob a pele para refazer o equilíbrio hídrico. "Elas induzem a hidratação da região e estimulam a produção natural de colágeno", explica a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, de São Paulo.

Como funciona o Skinbooster?

O colágeno é responsável pela textura firme da pele - Pexels - Pexels
O colágeno é responsável pela textura firme da pele
Imagem: Pexels

O ácido hialurônico é um composto já presente no organismo. Estima-se, inclusive, que mais de 56% dele esteja na pele. Ele atrai as moléculas de água e preenche os espaços vazios. "Uma vez injetado em vários pontos do rosto, o ativo favorece a reestruturação da derme, garantindo mais firmeza à região. O principal efeito, entretanto, ainda é a hidratação", conta o cirurgião plástico Mário Farinazzo.

"A reposição torna a cútis mais firme e luminosa. Rugas finas diminuem e o aspecto de vitalidade aumenta", explica a biomédica Jymenez Morais, de São Paulo. "O tratamento ainda ameniza marcas de acne e olheiras profundas, bem como realça os contornos do rosto", afirma a dermatologista Katleen Conceição, do Rio de Janeiro.

Para quem é indicado?

O procedimento pode ser realizado em pacientes com flacidez, afinamento da pele e sinais de ressecamento. Nas mais jovens, também atua como um preventivo. "A partir dos 26 anos, indica-se um protocolo com 3 sessões e uma manutenção anual de uma aplicação", explica Jymenez.

Onde e como é aplicado?

O Skinbooster é aplicado especialmente no rosto, mas também pode ser estendido para pescoço, colo e mãos. Com seringa e agulha, o médico aplica quantidades diminutas em pontos diversos bem próximos entre si. Ele pode ser usado em complemento à toxina botulínica ou sozinho — em ambos os casos, ajuda a suavizar linhas.

Não há grande desconforto durante o procedimento, mas ele pode deixar focos de hematomas leves. Também não é preciso interromper atividades cotidianas, mas recomenda-se suspender os exercícios físicos por dois dias após o protocolo. A exposição ao sol também deve ser evitada.

Quanto tempo dura?

Em geral, são necessárias de 1 a 3 sessões com duração de 6 a 8 meses. "Após esse período, pode ser necessária alguma manutenção a depender da recomendação médica", lembra Katleen.

Beleza