PUBLICIDADE

Topo

Polícia prende homem suspeito de agredir mulher em motel e divulgar imagens

Vítima e família voltaram a sofrer ameaças e tiveram que se mudar; ex-mulher do suspeito também relatou agressões - Getty Images/iStockphoto
Vítima e família voltaram a sofrer ameaças e tiveram que se mudar; ex-mulher do suspeito também relatou agressões Imagem: Getty Images/iStockphoto

Marcela Lemos

Colaboração para Universa, no Rio de Janeiro

24/11/2020 09h40

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu no último sábado (21) um empresário com dupla cidadania — brasileira e italiana — suspeito de agredir a ex-mulher em um motel na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, gravar imagens de violência contra ela e divulgar o conteúdo para os contatos da vítima por meio de aplicativo de mensagens.

A mulher estava em cárcere privado no interior do estabelecimento e foi forçada a informar a senha de acesso ao aparelho celular após ameaça. De acordo com a polícia, no conteúdo produzido, o homem disse ainda que a mulher era garota de programa.

O caso ocorreu em 9 de novembro e foi registrado na Delegacia da Barra da Tijuca. Na ocasião, a Justiça determinou medidas protetivas à vítima. Uma semana após os ataques, a mulher e a família dela voltaram a sofrer ameaças por meio de publicações em redes sociais e mensagens enviadas por aplicativo.

Com medo, a mulher mudou de endereço e procurou a Delegacia de Atendimento à Mulher. Após o novo registro de ocorrência e diligências, o homem foi preso sob suspeita de não cumprimento de medidas protetivas.

De acordo com a delegada Fernanda Fernandes, responsável pela prisão do empresário, as investigações apontam que "o autor não matou a vítima porque foi impedido por funcionários do motel que, ouvindo os gritos de desespero da vítima, bateram na porta do quarto para prestarem algum tipo de ajuda". "Diante da situação, o homem fugiu por uma das janelas do quarto levando consigo alguns pertences da vítima, inclusive o telefone celular", relatou.

Ainda segundo a delegada, foi cumprido um mandado de prisão preventiva contra empresário. "Ele tem vastos conhecimentos técnicos em tecnologia da informação que poderiam interferir na produção de provas, além de colocar em risco a integridade física da vítima", explicou.

No imóvel do empresário, policiais encontraram o aparelho celular da vítima e também um segundo celular usado para ameaçar a ex-mulher. "Ele usava um outro dispositivo, que não era o principal dele, para fazer as ameaças", afirmou ainda Fernanda.

De acordo com a Polícia Civil, a primeira ex-mulher do autor, com quem o empresário tem dois filhos, também relatou ter sofrido agressões físicas e psicológicas por ele durante vinte anos de relacionamento.