PUBLICIDADE

Topo

Com app 'espião', mulher descobre que namorado estuprava cunhada de 13 anos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Mattheus Miranda

Colaboração para Universa, em Salvador (BA)

19/11/2020 15h30

Um homem de 35 anos está sendo acusado de estuprar a própria cunhada, de apenas 14 anos, em Salvador (BA). De acordo com informações dos familiares, o suspeito mantinha relações sexuais com a vítima desde o último mês de maio, quando ela tinha apenas 13 anos. No entanto, o suposto crime foi descoberto na última sexta-feira (14).

Em contato com a tia da vítima, que preferiu não se identificar, a Universa apurou que a esposa do suspeito descobriu o crime após instalar um aplicativo espião no celular do ex-companheiro. Esse aplicativo realizou a gravação do som ambiente.

A reportagem teve acesso a um desses áudios, onde o criminoso conversa com amigos, que tentam alertá-lo. "Você tem que pedir a Deus e a seu advogado para não ficar na cadeia. Ela é de menor e você tem mais de 30 anos. Você não tem nem 10 nem 15 anos. Isso é pedofilia. Forçado ou não forçado, isso é estupro. Você vai cair na cadeia", disse um amigo não identificado.

Após a descoberta, a adolescente confessou aos familiares que foi forçada a ter relações sexuais com o suspeito. O último abuso teria ocorrido no dia 22 de setembro.

A reportagem também teve acesso a uma conversa do suspeito com a irmã da vítima, sua ex-companheira, via WhatsApp, onde ele aparece pedindo desculpas pelo crime. Em um dos trechos o suspeito afirma "estar arrependido" e pede perdão.

Homem suspeito de estuprar cunhada troca mensagens com a namorada - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Homem suspeito de estuprar cunhada troca mensagens com a namorada
Imagem: Arquivo Pessoal

Em uma entrevista concedida à Record TV Itapoan, na capital baiana, a ex-companheira do suspeito comentou sobre o caso.

"Eu tenho uma filha. Para você ter noção, a família do pai tomou a minha filha, alegando que ia tomar a guarda dela porque eu confiei minha filha a ele [ao acusado de estupro]. Eu não sei se ele fez alguma coisa com minha filha. Estou com medo", disse, em lágrimas.

"Se ele fez com minha irmã, pode ter feito com a minha filha. Minha irmã me contou que ele vem fazendo isso com ela desde maio e ela ficou com medo de contar por causa das ameaças", acrescentou.

Uma queixa foi registrada na DERCCA (Delegacia de Repressão a Crimes contra Crianças e o Adolescente).

Procurado pela Universa, a Polícia Civil do estado da Bahia informou que recepcionou a denúncia e vai ouvir todos os envolvidos. Além disso, a vítima recebeu as guias para exames periciais no Departamento de Polícia Técnica.

A corporação aguarda o resultado dos laudos para definir os próximos passos da investigação.