PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

BA: Homem que aparece em vídeo espancando ex está foragido da Justiça

Aliny Gama

Colaboração para Universa, em Recife

16/10/2020 20h41

A Polícia Civil da Bahia informou que Carlos Samuel Costa Filho, 33, que agrediu com socos no rosto a ex-companheira, sem se intimidar por estar sendo filmado por moradores de um prédio, localizado no bairro Nelson Costa, em Ilhéus (BA). As ações ocorreram no mês de junho, mas somente se tornaram públicas esta semana quando o vídeo foi publicado na internet.

A Polícia Civil da Bahia informou à Justiça que agentes não conseguiram localizar o homem até agora e ele já é considerado foragido. Na noite de ontem, a 2ª Vara Criminal de Ilhéus determinou a prisão preventiva de Carlos, acatando pedido do Ministério Público da Bahia.

Logo depois, o mandado de prisão expedido foi enviado à DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), em Ilhéus, para que policiais dessem cumprimento à ordem judicial. No entanto, Carlos até agora não foi encontrado e nem se apresentou à polícia.

Segundo o delegado Evy Paternostro, coordenador da Coorpin (Coordenadoria Regional de Polícia do Interior), policiais fizeram buscas no imóvel que o homem reside e também na casa de parentes dele, na noite de ontem e durante todo o dia de hoje, mas não o encontraram e nem detectaram movimentação de pessoas nos imóveis.

O delegado explicou que o mandado de prisão foi expedido pela Justiça após o homem ter sido liberado ontem pela polícia ao prestar depoimento. Após o depoimento, o investigado foi liberado "por não ter havido flagrante, mas teve sua prisão solicitada à Justiça", informou a Polícia Civil.

"A polícia já informou à 2ª Vara Criminal que ele não foi encontrado e nem se apresentou até agora. Portanto, ele já é considerado foragido da Justiça", explicou o delegado, destacando que policiais estão em diligência para tentar localizar o homem. "A Polícia Civil esteve por diversas vezes no endereço da residência dele, o qual ele declarou no interrogatório como sua moradia e foi confirmado em diligência, mas não encontrou. Os proprietários do imóvel, que é alugado, informaram que não veem o inquilino desde que o vídeo se tornou público", completou.

Ontem, ao ser ouvida pela polícia, a mulher relatou que não registrou Boletim de Ocorrência porque ficou com medo de sofrer novas agressões, além de não querer se expor com a situação. Mesmo assim, a DEAM, ao tomar conhecido do fato por meio do vídeo, registrou uma notícia de fato, por se tratar de ação penal pública incondicionada, e informou o caso ao Ministério Público da Bahia, que solicitou a prisão preventiva do investigado devido à reincidência dele em crimes de violência doméstica.

Segundo a polícia, a mulher ainda voltou a conviver com o agressor, após o espancamento, pois ele teria pedido desculpas e prometido que não iria mais agredi-la. No entanto, em setembro, segundo relato da vítima, ela foi agredida mais uma vez e decidiu acabar com o relacionamento e se mudou de cidade.

Segundo a DEAM, Carlos tem 11 registros na polícia por violência doméstica praticada contra ex-namoradas e mulheres da família dele. A Polícia Civil informou que o homem chegou a ser preso em flagrante por agredir a mãe, tendo sido liberado em seguida pela Justiça.

O Ministério Público informou também que ele já foi denunciado à Justiça por crimes de violência doméstica, ameaça e cárcere privado contra uma ex-namorada.

Ele foi condenado a um ano e quatro meses de prisão, mas recorreu da decisão judicial ocorrida em primeira instância. Entretanto, a Justiça manteve o crime de cárcere privado, em decisão dada Tribunal de Justiça da Bahia, no mês de agosto. Já os crimes de violência doméstica e ameaça foram prescritos.

Universa tentou localizar a defesa do homem, durante todo o dia de hoje, mas não conseguiu. A reportagem tentou contato com o investigado por meio de redes sociais, mas ele não retornou até a publicação deste texto.

Violência contra a mulher