PUBLICIDADE

Topo

Tio cumpria regime semiaberto durante período em que criança relata estupro

Em relato à Polícia Civil do Espírito Santo, a vítima afirmou que era abusada desde os seis anos idade - Getty Images/iStockphoto
Em relato à Polícia Civil do Espírito Santo, a vítima afirmou que era abusada desde os seis anos idade Imagem: Getty Images/iStockphoto

Luiza Missi

De Universa, em São Paulo

17/08/2020 19h43

O homem suspeito de estuprar e engravidar a sobrinha de 10 anos em São Mateus, no Espírito Santo, já foi preso por tráfico de drogas e cumpria pena em regime semiaberto quando os abusos começaram, de acordo com relato da vítima. A criança conseguiu expelir o feto espontaneamente hoje, após a indução iniciada ontem à noite pela equipe médica do Cisam (Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros), ligado à UPE (Universidade de Pernambuco), no Recife.

A Sejus (Secretaria do Estado de Justiça) aponta que o homem cumpriu a pena entre 2011 e 2018, e a progressão para o semiaberto aconteceu em março de 2017. Em relato à Polícia Civil do Espírito Santo, a vítima afirmou que era abusada desde os seis anos de idade.

Os abusos teriam acontecido, portanto, durante o regime semiaberto — quando o detento pode trabalhar fora da prisão durante o dia, mas retorna à unidade penitenciária à noite. Entre maio de 2011 e março de 2017, o suspeito cumpriu a pena por tráfico em unidades de regime fechado. Depois disso, foi para uma unidade de semiaberto.

O homem tem 33 anos de idade e está foragido. Ele foi indiciado por estupro de vulnerável e ameaça, e seu nome não foi divulgado para proteger a identidade da criança.

O caso chegou ao conhecimento da polícia no sábado (8), quando a menina deu entrada em um hospital público da cidade com suspeita de gravidez. Na tarde de hoje, ela foi submetida à curetagem para retirada de restos placentários do útero.