PUBLICIDADE

Topo

Mulheres inspiradoras

'Odeio a ideia que as mulheres precisam ser dóceis', diz Elisabeth Moss

Elisabeth Moss em cena de "Shirley", biografia da escritora Shirley Jackson - Reprodução
Elisabeth Moss em cena de 'Shirley', biografia da escritora Shirley Jackson Imagem: Reprodução

De Universa, em São Paulo

09/07/2020 10h01

Elisabeth Moss não quer interpretar mulheres "dóceis" no cinema e na TV. A estrela de "The Handmaid's Tale" falou à revista "Elle" sobre o seu novo papel: o da escritora Shirley Jackson, autora de clássicos como "A Assombração da Casa da Colina", no filme biográfico "Shirley" (ainda inédito no Brasil).

"Eu odeio essa ideia de que temos que ser educadas como mulheres, ou dóceis. É bom ser gentil, é claro, mas odeio essa ideia de que temos que concordar com tudo, ou somos rotuladas como 'difíceis'. Eu tenho muitas objeções a isso", explicou.

Moss explicou que foi "divertido" interpretar uma mulher de temperamento forte, que "sabia que era uma ótima escritora, e não dava a mínima se as pessoas gostavam ou não do que ela escrevia".

"Eu tenho muita admiração por ela. Ela era uma mulher muito forte, muito a frente do seu tempo, que não seguia nenhuma das normas que eram esperadas de uma esposa, de uma mãe, de uma mulher, naquela época", definiu.

O filme acompanha Jackson (1916-1965) durante a época em que escrevia "Hangsaman" (1951), misturando realidade e ficção para pintar um retrato complexo da artista. Michael Stuhlbarg ("Me Chame Pelo Seu Nome") vive o controlador marido de Jackson, o professor universitário Stanley Hyman.

Mulheres inspiradoras