PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

DF: bispo é preso suspeito de estuprar crianças e adolescentes em 8 igrejas

Nathalia Zôrzo

Colaboração para o UOL, em Brasília

19/02/2020 19h33

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu hoje um bispo suspeito de usar sua posição para cometer estupros contra diversas crianças e adolescentes. O homem, de 40 anos, trabalhava em oito igrejas evangélicas do Distrito Federal e de Goiás.

Uma das vítimas que denunciou o bispo tinha apenas 13 anos quando sofreu os abusos, no Recanto das Emas, cidade a 30 km de Brasília. Ela contou à polícia que tudo começou em 2017, quando ela procurou o homem para um aconselhamento sobre sua sexualidade. Segundo a jovem, o bispo propôs a ela um "tratamento" que consistia em passar óleo ungido pelo corpo dela, incluindo as partes íntimas.

Segundo o delegado Pablo Aguiar, da 27ª Delegacia de Polícia, o procedimento foi feito diversas vezes. "Ela contou que o bispo buscava a menina em casa antes do culto, dizia para a família dela que os dois precisavam ir à igreja mais cedo para resolver algo e ao chegar lá cometia os abusos".

A vítima, hoje com 15 anos, também disse aos policiais que o homem chegou a pedir fotos íntimas para ela com a justificativa de que precisava das imagens para rezar por ela. Por causa dos abusos, a garota desenvolveu síndrome do pânico e começou a fazer tratamento psicológico.

Foi no meio de uma das sessões de terapia, no ano passado, que ela contou os crimes que tinha sofrido. O terapeuta conversou com os pais dela e, em setembro de 2019, todos decidiram denunciar o caso.

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga o caso desde então e descobriu que o homem já foi condenado duas vezes pelo crime de violação sexual mediante fraude em 2012, em Goiânia, e em 2018, no Gama, cidade a 35 km de Brasília. O suspeito, no entanto, recorreu nos dois casos e responde aos processos em liberdade. Ele também foi absolvido em outros dois processos com denúncias semelhantes.

Segundo a polícia, as vítimas tinham de 12 a 21 anos. "Algumas delas, como essa que nos procurou em setembro do ano passado, relataram abusos sexuais sem penetração, mas em outros casos as jovens disseram que o homem praticou o estupro e disse que fez aquilo para tirar a maldição que estava dentro delas", afirmou o delegado.

A delegacia conseguiu com a justiça um mandado de prisão preventiva e deteve o acusado nesta quarta-feira no estacionamento do aeroporto de Brasília, quando ele estava voltando de uma viagem.

O homem não reagiu à prisão, mas também não confessou os crimes. Agora ele vai responder por violação sexual mediante crime.

Violência contra a mulher