PUBLICIDADE

Topo

Modelo Gigi Hadid pode ser uma das juradas no julgamento de Weinstein

Gigi Hadid apresenta coleção primavera-verão da Chanel em Paris - Getty Images
Gigi Hadid apresenta coleção primavera-verão da Chanel em Paris Imagem: Getty Images

De Universa, em São Paulo

13/01/2020 15h40

Resumo da notícia

  • Gigi Hadid pode servir como juradas no julgamento de Harvey Weinstein
  • A modelo foi entrevistada pelo juiz do caso hoje, que perguntou se ela poderia ser imparcial com o acusado
  • Eu acho que ainda seria capaz de ser imparcial com os fatos do caso", respondeu

O júri que vai decidir se o produtor Harvey Weinstein é culpado ou inocente das acusações de assédio sexual e estupro pode incluir um rosto famoso: o da modelo Gigi Hadid, que compareceu hoje ao tribunal em Nova York (EUA) para sua entrevista com o juiz James Burke.

Assim como os outros "convocados" ao júri, Hadid respondeu diversas perguntas sobre o caso, em um esforço para determinar se ela pode ser imparcial na hora de juglar Weinstein pelas acusações.

A modelo confessou que já encontrou-se com Weinstein em eventos da indústria da moda, segundo o The Hollywood Reporter. Ela também disse conhecer pessoalmente uma das mulheres que acusa o produtor de assédio, a atriz Salma Hayek,

O juiz Burke perguntou a modelo, diretamente, se algo de sua experiência com Weinstein ou Hayek poderia impedí-la de ser objetiva no julgamento. "Eu acho que ainda seria capaz de ser imparcial com os fatos do caso", respondeu a modelo.

Muitos "candidatos" ao júri já foram dispensados por se declararem incapazes de um julgamento imparcial, graças às muitas acusações de assédio contra Weinstein disseminadas pela mídia.

Na sessão de hoje, o juiz Burke ainda advertiu que os possíveis jurados não devem discutir o caso nas redes sociais. "Deixe-me dizer isso com clareza: vocês podem ser presos se violarem esta ordem", comentou.

Violência contra a mulher