Topo

Beleza


Beleza

Overwashing: lavar o rosto em excesso pode estragar sua pele

Produtos podem desequilibrar a proteção natural da pele, causando irritações e até efeito rebote - Getty Images/iStockphoto
Produtos podem desequilibrar a proteção natural da pele, causando irritações e até efeito rebote Imagem: Getty Images/iStockphoto

Manuela Aquino

Colaboração para Universa

30/08/2019 04h00

Lavar o rosto e sentir a pele sequinha é uma delícia. Fazer isso algumas vezes ao dia, então, pode parecer irresistível ainda mais em dias de calor e quando se tem a pele mista ou oleosa. A sensação é melhor ainda quando se usa um daqueles aparelhos que potencializam a limpeza. Só que, aqui, pode haver um problema.

Limpar demais a pele com sabonetes, usar esfoliante ou adotar métodos mais abrasivos podem fazer mal. A epiderme, camada mais superficial, é composta por uma emulsão de água e lipídios, o manto hidrolipídico. Ele é mantido pela secreção de glândulas sebáceas e sudoríparas, que alimentam essa barreira natural. Produtos de higiene facial podem desequilibrar essa proteção, causando irritações e até o efeito rebote, com produção de oleosidade maior, já que a glândula "entende" que ela está em falta e passa a produzi-la mais. "A falta dessa proteção permite que fungos e bactérias causem infecções, foliculites e até micoses", diz Kédima Nassif, dermatologista e tricologista, de Belo Horizonte (MG).

Meio-termo é a chave

Independentemente do tipo de pele, a orientação é que você lave o rosto duas vezes ao dia com um sabonete facial. "Enquanto você dorme, a pele produz oleosidade como forma de proteção. Quando você a retira, os ativos de cremes, como vitamina C e protetor solar, penetram melhor", diz Laís Leonor, dermatologista da clínica Dr. André Braz, do Rio de Janeiro (RJ). À noite, vale o mesmo ritual, desta vez para mandar embora agentes prejudiciais, como sujeira da poluição. "Será preciso ficar de olho na temperatura da água. Tem ser de morna para fria, pois a quente estimula oleosidade", fala Laís Leonor.

Para cada pele cabe um tipo de sabonete de limpeza. Entre as mil opções que você encontra na farmácia e em lojas especializadas, às vezes fica difícil escolher a sua. "O líquido é mais delicado e agride menos. As muito oleosas se adaptam bem aos que têm esfoliante ou aqueles em barra. É comum a higienização mudar após início do tratamento com ácidos ou mesmo com a mudança do clima. Mesmo as oleosas e acneicas podem não mais tolerar sabonetes em barra e abrasivos após o uso de ácidos e nos meses de clima frio e seco", explica a dermatologista Daniela Neves, de Belo Horizonte (MG). A seca precisa de um produto suave com propriedades hidratantes. Oleosa, ingredientes ativos que façam um leve peeling como ácido salicílico. Pele mista pede sabonetes indicados para acneica, mas menos concentrados.

Aparelhos que a gente ama

A escovinha elétrica de limpeza dá alegria só de você ouvir o barulhinho ao ligar. Ela dá uma movimentada na pele, remove impurezas, tira resíduo da maquiagem. Depois da limpeza, a sensação é muito boa. Mas aqui também mora um perigo. "Se você usar todo dia, vai agredir a pele. Ela pode ficar sensível e vermelha. Usá-la uma vez por semana com sabonete líquido, sem partículas esfoliantes, está bom", diz Laís Leonor.

A esponja massageadora Foreo é bem tecnológica e envia pulsações para a pele. Pode ser usada uma vez ao dia, mas nunca com esfoliante, para não irritar a pele. Outro artifício que pode parecer inocente é usar toalha com água quente para tirar o make ou mesmo a máscara facial. Aqui, melhor usar água de morna para fria e usar a toalha delicadamente só para secar, pois o calor e a fricção também vão irritá-la.

E se eu continuar lavando?

Cada tipo de pele vai reagir de um jeito. A seca vai apresentar descamação, irritação, ficar vermelha e dar aquela sensação de repuxamento. A oleosa vai ficar momentaneamente mais seca, só que ao longo do dia a oleosidade vai aumentar. "Após algumas horas, é possível ver gotículas de óleo", diz Kédima Nassif. Aí, você vai vai querer lavar mais e entrar num ciclo sem fim. A mista tende a ficar com acne, principalmente na zona T, com cravinhos no nariz e pequenas espinhas na testa. Um estímulo para mudar os hábitos nocivos é pensar que cada vez que sua pele fica irritada, você dá um passo para trás nos cuidados com ela. Às vezes, será preciso suspender o uso de cremes e ácidos para tratar o problema e depois voltar ao tratamento.