PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Corretivos: saiba como escolher o ideal e aprenda a usar os coloridos

iStock
Imagem: iStock

Paula Roschel

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/08/2017 04h00

O corretivo dá o que falar na rotina de beleza. Ele pode tanto ser um aliado para deixar a pele impecável, quanto ressaltar ainda mais as imperfeições, caso do temido efeito "panda invertido". Sendo assim, todo cuidado é pouco na hora de eliminar manchas e olheiras. Mas existem algumas técnicas e regras para conquistar a maquiagem perfeita:

Escolhendo a cor

Para não errar na compra, opte por corretivos com tom similar ao da base. "É bom testar o produto na própria área a ser usada, porque aplicar no antebraço ou no dorso da mão sempre dá diferença. E se for negra, dê preferência aos tons quentes. Normalmente os tons de corretivos são classificados em frios, quentes e neutros", explica Suely Ferreira, maquiadora do Studio W, de São Paulo.

Já para Juliana Rakoza, maquiadora oficial da Maybelline, existe um outro truque simples para acertar a escolha: "A luz natural é a melhor para testar o corretivo na pele."

Pele madura

Quem tem pele madura também costuma ter dúvidas na hora de escolher a textura do produto. "Essas peles costumam ser mais secas, então prefiro corretivos cremosos. Normalmente o aplico após a base, somente onde é necessário, e finalizo com a ponta do dedo anelar, para efeito mais natural", ensina Suely Ferreira. Também é interessante explorar técnicas sobre linhas e rugas: "Sempre aplique o produto em direção aos vincos, para que não fique sobre a pele e evidencie ainda mais as linhas de expressão", complementa o maquiador Alex Cardoso, do Salão 1838, de São Paulo.

E os coloridos?

Nem sempre os corretivos com tom da pele conseguem cobrir completamente as imperfeições. Nesses casos, entram em cena aqueles com tons como amarelo, lilás, salmão e verde. "Algumas correções precisam de cobertura maior, então podemos usar os coloridos para complementar e camuflar mais", afirma Juliana Rakoza.

A especialista ainda indica a forma correta para aproveitar o potencial dessas nuances: "Eles sempre têm de ser aplicados antes do corretivo da cor da pele, essa é a regra. É importante depositar uma pequena quantidade, senão é difícil voltar à cor natural". Ela ainda revela sua técnica para uniformizar olheiras intensas: "Quando se tem olheiras muito escuras, o ideal é usar corretivo mais escuro, quase da cor da olheira, e depois cobrir com iluminador, para trazer para o tom da pele e clarear".

Cada cor com sua função

Amarelo: indicado para imperfeições arroxeadas, como hematomas ou olheiras;
Lilás: para corrigir tons amarronzados ou alaranjados, como olheiras ou sardas;
Salmão e laranja: ideal para imperfeições como olheiras cinza arroxeadas;
Verde: imperfeições avermelhadas, como espinhas.

Hidratantes x secos

Os corretivos podem ser mais leves e maleáveis, como os líquidos ou em gel, ou mais densos, como os cremes e bastões. Cada um desempenha uma função de cobertura: "Para área dos olhos, recomendo os mais hidratantes, pois essa região tende a ser seca, com pele mais sensível e fina. Para manchas no rosto, o ideal são os mais grossos, com mais cobertura e acabamento seco ", revela Mariana Ishizaka, maquiadora oficial da Benefit.

Disfarçando bolsas

E quando a área a ser uniformizada tem bolsas ou sulcos? Para o maquiador Alex Cardoso é importante usar um hidratante com cafeína na composição para estimular a circulação do local, diminuindo, assim, tais características. "Depois de amenizar as imperfeições, use corretivo iluminador para equilibrar o volume da bolsa, criando uma ilusão de ótica", destaca.

Nas pálpebras?

Outra dúvida recorrente é se o corretivo pode ser aplicado nas pálpebras superiores. Para Suely Ferreira, é possível, mas com ressalvas. "É preciso espalhar bem e aplicar uma sombra por cima ou um pouco de pó, para evitar que o corretivo junte no meio do côncavo. E tem um truque que uso diariamente nas minhas olheiras que são bem escuras: faço a correção apenas na parte inferior dos olhos e deixo o tom natural na pálpebra, usando-a como sombra. Aplico bastante máscara de cílios e parece que fiz olho esfumado".

Triângulo invertido

Entre blogueiras, uma forma de aplicar o corretivo se popularizou por, supostamente, minimizar o efeito de "panda invertido", que é aquela mancha branca e de aspecto bastante artificial. A saída seria fazer um desenho de triângulo invertido abaixo dos olhos, o que é defendido pela maquiadora Suely Ferreira: "Essa é a forma mais segura de aplicar o corretivo abaixo dos olhos, assim você une corretivo e base, evitando demarcações".

Selar ou não selar?

Precisa passar pó compacto ou solto após aplicar o corretivo, para mantê-lo no lugar? A maquiadora Mariana Ishizaka acaba com essa dúvida recorrente: "Para pessoas com pele oleosa ou linhas abaixo dos olhos é recomendado passar pó para selar e evitar que o corretivo vinque ou derreta, mas em pequenas quantidades. Sugiro pó solto translúcido, que não seja branco, para que o efeito seja leve e não fique muito claro."

Não pode aplicar se...

"O corretivo não pode ser aplicado em pele que está lesada, com fissuras ou extremamente ressecada. Também não é indicado nas semimucosas, como as conjuntivas dos olhos, pois pode causar irritações", alerta a dermatologista Thais Guerreiro, de São Paulo. Ela enfatiza que se o produto for aplicado na pele desidratada, o efeito pode ser indesejado: " O corretivo deve ser usado sobre uma pele bem hidratada, para que não craquele", finaliza.

 

 

Beleza