Topo

Sexo


Sexo

Cinco mitos sobre orgasmo feminino para desapegar já

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

01/09/2017 04h00

O sexo sempre foi um assunto pautado por mitos, tabus e dúvidas. Ainda mais quando se pensa em relação à mulher. O prazer foi, por muitos anos, e ainda é, subestimado e negado a elas. Cinco mulheres dividiram com o UOL suas histórias e mostram por que algumas crenças populares são pura balela e devem ser desmitificadas já!

  • Reprodução/Tumblr

    Todo mundo goza com penetração

    "Sempre tive dificuldade de gozar só com penetração. Com o meu primeiro namorado, com quem perdi a virgindade, nunca aconteceu. E eu nem tinha consciência disso, achava que só o gostosinho ali já era orgasmo, e que ele apenas era (muito) mais intenso quando tinha estímulo no clitóris. Alguns anos e parceiros depois, consegui chegar lá só com penetração. E mesmo assim não é muito comum pra mim". G. A., 27 anos, jornalista

  • Reprodução/Tumblr

    Masturbação arruina o sexo a dois

    "Quando era mais nova, tinha um misto de vários sentimentos em relação à masturbação: vergonha, timidez e até medo de que, se eu gozasse me masturbando, não ia mais querer transar com outras pessoas. Maior loucura da minha cabeça! Hoje não vivo sem meus brinquedinhos e nunca perdi o fogo com meu marido". J. P., 38 anos, arquiteta

  • Reprodução/Tumblr

    Se eu não gozei, o sexo não foi bom

    "Dos meus 20 e tantos aos 30 anos, quando estava solteira, tive muitos parceiros e parceiras sexuais. Depois de uma transa, quando não gozava, ficava com a sensação de que não tinha sido bom, não tinha valido a pena. Hoje vejo que sexo é muito bom, sim, mesmo quando não rola orgasmo. Acho que sentimento e intimidade mudam tudo". P. M., 32 anos, médica

  • Reprodução/Tumblr

    Devo fingir orgasmo para o meu parceiro se sentir melhor

    "Fui casada por 12 anos. Na maioria das vezes que fizemos sexo, eu fingi orgasmos. Era muito bom, mas eu não conseguia gozar a não ser que estivesse muito no clima e concentrada. E num casamento, com filhos e rotina, o clima e a concentração não são assim tão frequentes. Meu marido era muito ávido por sexo, e eu também. Mas nas vezes em que não gozava, sempre fingia ou falava que tinha chegado lá só para ele não se sentir mal. Hoje não faço mais isso. A sinceridade é minha maior característica na cama". B. J., 43 anos, psicóloga

  • Reprodução/Tumblr

    Mulher não ejacula

    "As manchas nos meus lençóis estão aí pra provar que mulher ejacula. Quando começou a acontecer comigo, com uns 19 anos, pensava que era só quando eu estava muito molhada. Mas depois comecei a reparar que a consistência dos fluidos era diferente. Nenhum ginecologista me deu explicação do que é ou por que acontece. E não é que nem em filme, não sai espirrando. Às vezes, se não acontece, meu namorado acha que eu não gozei e fica chateado. Mas sempre explico que, pra mim, uma coisa não depende da outra". C.F., 24 anos, estudante de Direito