PUBLICIDADE
Topo

Musk participa de reunião com governo; veja 14 polêmicas sobre o bilionário

Elon Musk é fundador da SpaceX e da Tesla - Divulgação
Elon Musk é fundador da SpaceX e da Tesla Imagem: Divulgação

Bruna Souza Cruz

De Tilt, em São Paulo

20/05/2022 10h50Atualizada em 20/05/2022 13h06

O empresário Elon Musk participa de um encontro com o governo brasileiro nesta sexta-feira (20). Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a reunião com o bilionário —dono da Tesla (carros elétricos) e da SpaceX (empresa aeroespacial)— irá tratar de assuntos de conectividade e proteção da Amazônia.

Não há muitos detalhes sobre a vinda de Musk ao Brasil, mas acredita-se que um dos temas será a Starlink, sistema de satélites da SpaceX que fornecem internet. O assunto é o mais comentado do Twitter no momento. A #BolsoMusk soma mais de 40,3 mil interações, Amazônia mais 12,2 mil e Tesla registra até agora 154 mil tuítes.

Desde que Musk anunciou o acordo de compra de 100% do Twitter por cerca de US$ 44 milhões, seu nome ficou ainda mais em foco —do mercado, da imprensa e dos internautas. Porém, semanas depois o homem mais rico do mundo decidiu suspender temporariamente a aquisição da rede social, o que gerou muitas críticas e mais polêmica.

Confira a seguir outras situações delicadas em que Elon Musk já esteve envolvido, como ter minimizado a covid-19, denúncias de assédio contra suas empresas e ter sido 'demitido' da Tesla (empresa que ele mesmo fundou).

1. Compra o Twitter ou não compra?

Em um tuíte no dia 13 de maio, o empresário divulgou que a compra do Twitter seria interrompida. Ele argumenta que a empresa precisa provar que menos de 5% das contas de usuários representam perfis falsos e de spam na plataforma.

Críticos dizem que o objetivo é fazer com que a operação diminua de valor. Musk defende que é importante ter essas informações antes antes que o acordo continue.

2. Emoji de cocô

A decisão de Musk resultou em uma discussão pública entre ele e o presidente-executivo do Twitter, Parag Agrawal, que afirmou que não pode dar uma estimativa sobre o volume de contas falsas, pois essa identificação usa informações privadas. Ou seja, não podem ser abertas e divulgadas.

Em resposta sobre esse assunto, o bilionário publicou um emoji de cocô —entenda melhor a treta aqui.

3. Musk teria violado acordo de confidencialidade

Na última sexta (13), Elon Musk também compartilhou na internet que o Twitter utiliza uma amostra de 100 seguidores para calcular a filtragem de contas de bots (perfis automatizados). Um dia depois, o empresário publicou que o Twitter o acusou de violar um acordo de confidencialidade ao divulgar essa informação.

4. Twitter x liberdade de expressão

Antes de comprar a rede social, o empresário vinha criticando publicamente a plataforma por considerar que ela não se guia pelo princípio da liberdade de expressão, pois o Twitter funciona com moderação de conteúdo. Ou seja, algoritmos e profissionais humanos podem bloquear/suspender perfis que violem as regras de uso.

Alguns especialistas temem que mudar esse jeito de funcionar da plataforma será uma oportunidade para a proliferação de discursos de ódio e fake news.

Em resposta sobre essa polêmica, Musk publicou no dia 26 de abril a frase: "Por 'liberdade de expressão' quero dizer simplesmente aquilo que está de acordo com a lei. Sou contra a censura que vai muito além da lei. Se as pessoas quiserem menos liberdade de expressão, pedirão ao governo que aprove leis nesse sentido. Portanto, ir além da lei é contrário à vontade do povo."

5. Luta contra Vladimir Putin

Dez dias após a Rússia entrar com suas tropas na Ucrânia, Musk chamou o presidente Vladimir Putin para uma "luta um contra um". O ganhador ficaria com o país invadido.

O líder da República da Chechênia e aliado de Putin, Ramzan Kadyov, respondeu que Musk lutaria em uma categoria fora de seu peso e contra um oponente "masculino".

Musk dobrou a aposta durante uma troca de mensagens posterior e, inclusive, mudou seu nome temporariamente para "Elona" na rede social para zombar dos comentários machistas de Kadyrov.

6. Briga espacial

Bezos também virou desafeto de Musk. O fundador da Amazon comanda a Blue Origin, concorrente direta da SpaceX.

Em agosto de 2021, Bezos chegou a apresentar uma queixa contra a rival junto ao FCC (Comissão Federal de Comunicações, órgão regulador da área de telecomunicações dos Estados Unidos).

A intenção era impedir que a SpaceX colocasse em órbita mais uma frota de satélites da Starlink. Musk retrucou dizendo que Bezos havia se aposentado dos negócios para se dedicar a processos contra a SpaceX.

7. Minimizou pandemia

Em março de 2020, Musk minimizou a pandemia de coronavírus, classificando "o pânico" em relação a covid-19 como "burro".

Em um email para funcionários da Tesla ele até afirmou (sem dizer a fonte dos dados) que acidentes de carros matavam mais do que a doença.

8. Racismo, assédio sexual e más condições de trabalho

Em outubro de 2021, um júri federal ordenou que Tesla pagasse US$ 137 milhões a um funcionário negro que acusou a montadora de ignorar um abuso racial. Além de discriminação, ex-funcionários de suas empresas já denunciaram casos de assédio sexual e más condições de trabalho.

De acordo com a revista Forbes, seis mulheres entraram com processo alegando que foram assediadas por colegas. Segundo as acusações, a companhia não teria tomado nenhuma medida.

9. Acusado de assédio sexual

Em 2018, a SpaceX pagou US$ 250 a uma comissária de bordo que acusou Elon Musk de assédio sexual. O valor foi determinado para encerrar o processo contra o empresário.

Segundo a comissária, ele passou a mão em sua perna sem consentimento, pediu uma passagem erótica e expôs seu órgão sexual para ela.

10. Chip no cérebro

No ano passado, a internet repercutiu uma ideia do empresário: a instalação de chips no cérebro. Após testes em animais como porcos e macacos, sua empresa Neuralink anunciou que estava se preparando para realizar os primeiros testes em seres humanos.

O objetivo da startup, criada há apenas cinco anos, é implantar um chip do tamanho de uma moeda no cérebro de pessoas com dificuldades motoras. A ideia não é fazer com que a pessoa ande, mas sim, fazer com que ela consiga controlar seu computador com a mente.

Uma parcela da comunidade científica se posicionou alertando que talvez a humanidade ainda não esteja preparada para esse salto e que o assunto deveria ser melhor discutido antes de qualquer aplicação prática.

11. Empregos em Marte

Musk chegou a afirmar que prevê que humanos trabalhem em marte em 2050. É quando ele estima que o planeta vermelho alcançará um milhão de habitantes, "com muitos empregos".

O projeto ambicioso, contudo, não parece tão fácil de ser concretizado, como o bilionário propôs em suas redes sociais. Especialistas ouvidos por Tilt, por exemplo, estimam que isso demandará pelo menos mais 200 anos só de pesquisa.

12. Trabalha quem quer?

O empresário virou notícia em 2021 por um robô humanoide capaz de executar tarefas braçais da Tesla. Segundo Musk, a tecnologia terá 1m72 de altura, 68 kg e será comandado por algoritmos de inteligência artificial.

Para o bilionário, num futuro próximo, o "trabalho físico será uma escolha" a partir do uso da sua tecnologia. A fala não pegou bem. Além disso, ele reconheceu que isso poderá acabar com empregos que precisam de mão de obra humana, deixando milhares de pessoas sem um meio de sustento.

13. Multado e "demitido"

Em agosto de 2018, Musk acabou entrando na mira dos reguladores da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) após tuitar que tiraria a Tesla da bolsa de valores.

"Estou considerando privatizar a Tesla a 420 dólares [por ação]", tuitou. O mercado reagiu ao comentário, que Musk nunca cumpriu.

Após assinar um acordo com os reguladores norte-americanos, Musk deixou o cargo de presidente-executivo da Tesla, e teve que pagar multa de US$ 20 milhões por enganar investidores.

14. Mergulhador pedófilo

Em julho de 2019, Musk acabou absolvido em um processo por difamação movido pelo espeleólogo britânico Vernon Unsworth, que foi chamado de pedófilo pelo magnata em uma postagem no Twitter.

Musk atribuiu a prática criminosa a Unsworth após o britânico dizer que não daria certo a solução do bilionário para resgatar jovens presos em uma caverna na Tailândia. Ele sugeriu utilizarem um submarino.

Na época da postagem, ele chegou a pedir desculpas e deletou todos os tuítes a respeito do britânico.

*Com textos de Pedro Paulo Furlan, Albinoan Santiago, Juliana Stern e Helton Simões Gomes.