PUBLICIDADE
Topo

WhatsApp, Facebook e Instagram ficam fora do ar globalmente por 7 horas

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

04/10/2021 12h52Atualizada em 04/10/2021 19h31

Não foi só com você —nem foi culpa do seu roteador ou da sua conexão. Os aplicativos do WhatsApp, Facebook e Instagram ficaram fora do ar globalmente por horas desde meio-dia (de Brasília). Ninguém conseguia enviar mensagens no WhatsApp ou carregar novos posts no Instagram e Facebook. Por volta de 19h, o Instagram e o Facebook começaram a dar sinal de vida, mas o WhatsApp continuava com erro.

Por meio de sua conta oficial no Twitter, o Facebook —que também é dono do WhatsApp e Instagram— confirmou o problema no mundo todo, mas não deu detalhes sobre a falha.

"Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para acessar nossos aplicativos e produtos. Estamos trabalhando para voltar ao normal o mais rápido possível e pedimos desculpas por qualquer inconveniente", disse a empresa.


O blecaute atingiu tanto os aplicativos para Android e iOS quanto os sites acessíveis pelo navegador no celular e no PC. Quem tentava acessar o WhatsApp Web ou o Facebook e o Instagram pelo navegador encontrava uma tela de página fora do ar.

Há sinais de que a falha geral afetou também outros aplicativos que dependem do login do Facebook, como o jogo "Pokémon Go" — a desenvolvedora, Niantic, diz que está investigando o caso.

Até a plataforma de realidade virtual Oculus, que pertence ao Facebook, estava com problemas. Quem usava um dos visores da marca para jogar relatou problemas para carregar games.

Falhas nos serviços do Facebook não são inéditas: só este ano, os apps tiveram instabilidade pelo menos três vezes, em março, junho e setembro. Geralmente, as redes sociais voltam a funcionar em menos de duas horas. No blecaute desta segunda, foram quase sete horas sem retorno, o que não é comum.

Possível falha de DNS

Dane Knecht, vice-presidente da empresa de servidores Cloudflare, disse em seu perfil no Twitter que a queda global do Facebook tem a ver com DNS e que "as rotas BGP" da empresa "foram retiradas da internet".

DNS significa Domain Name System, ou Sistema de Nomes de Domínios. É um computador com uma espécie de banco de dados que relaciona o endereço "nominal" (site do UOL, por exemplo) com o endereço real (número de IP, de Internet Protocol) para poder acessá-lo.

Funciona assim: quando você digita www.uol.com.br, servidores DNS entram em operação e "traduzem" o endereço para o IP 200.221.2.45 (relativo ao UOL) e permitem o acesso.

Quando ocorre uma falha em um desses servidores, o endereço IP fica fora de alcance.

Já BGP significa Border Gateway Protocol (Protocolo de Portão de Fronteira, em tradução livre). Trata-se do sistema que decide por qual rota os seus dados vão trafegar até chegar ao destino escolhido.

É como se fosse o Waze: quando você digita www.uol.com.br na barra de endereços do navegador e aperta Enter (ou abre o WhatsApp no celular), o BGP é o protocolo que avalia os possíveis caminhos que você pode tomar para chegar ao servidor desejado.

Funcionários impedidos de trabalhar

Se o BGP sai do ar, como parece ser o caso do Facebook nesta segunda, a plataforma fica "sem direção" e não consegue mais encontrar o caminho entre o usuário e o serviço que ele quer acessar.

Até mesmo os funcionários da empresa podem ficar sem acesso às ferramentas internas usadas para configurar o sistema e corrigir o problema. É isso que parece ter prolongado a correção da falha nas empresas do Facebook.

Brian Krebs, jornalista especialista em segurança digital, resumiu o cenário em um tweet: "Confirmado: os registros DNS que informam aos sistemas como encontrar Facebook.com ou Instagram.com foram retirados esta manhã das tabelas de roteamento global. Você consegue se imaginar trabalhando no FB agora, quando seu email não funciona mais e todas as suas ferramentas internas baseadas no FB falham?"

Sheera Frenkel, repórter do jornal norte-americano The New York Times, confirmou o cenário caótico na empresa: "Acabei de falar ao telefone com alguém que trabalha para o FB que descreveu funcionários sem conseguir entrar nos prédios esta manhã para avaliar a extensão da pane porque seus crachás não funcionavam para abrir as portas".

Tilt procurou o Facebook para saber o motivo oficial da queda ou uma previsão de retorno, mas ainda não obteve resposta. Vamos atualizar este texto assim que houver novidades.

Reações

Brasileiros correram para o Twitter para informar a falha e fazer memes com as constantes quedas dos aplicativos do Facebook.

Até influenciadores norte-americanos e britânicos, além de outras pessoas públicas, entraram na brincadeira e reagiram à queda global dos serviços do Facebook com memes e críticas à rede social.

"Ei, Twitter, talvez seja um bom momento de trazer de volta os stories", brincou o youtuber Casey Neistat, em referência à experiência da rede social com os Fleets.

"O mundo se o Facebook continuasse fora do ar", brincou o jornalista americano Tom Warren.

"Me pergunto quão grande seria o pico de uso do Twitter quando Facebook, Instagram e WhatsApp caem ao mesmo tempo", comentou o youtuber Marques Brownlee.

"Facebook e Instagram misteriosamente saem do ar, por um brilhante dia, o mundo se torna um lugar mais saudável", comentou Edward Snowden, analista de sistemas que denunciou o esquema de vigilância em massa do governo dos EUA em 2013.

Inferno astral?

A queda geral vem na mesma semana em que o Facebook é alvo de uma série de acusações, incluindo a de ter negligenciado um estudo interno que mostrou que o Instagram é "tóxico" para jovens e a de ter dado passe livre para alguns perfis ignorarem as regras da rede social.

O vazamento de documentos internos da empresa chegou a levar o Facebook a depor numa comissão do congresso norte-americano na última semana. A empresa se defende das acusações dizendo que elas não procedem.