Conteúdo publicado há 1 mês

Esvaziamento de público e intervenções policiais marcam show de Djonga

O rapper Djonga foi o último a se apresentar na madrugada de sábado (18) da Virada Cultural. O show, que começou às 5h30, estava mais vazio que o anterior, da cantora Pablo Vittar.

Apesar disso, apresentação de Djonga foi enérgica. O rapper cantou suas principais músicas e convocou uma roda no meio da apresentação.

O show também foi marcado por dois momentos de conflito entre o público e a polícia. Na ocasião, dois homens tentaram pular o alambrado para entrar na área VIP do show, que dá acesso ao palco e ao artista. A polícia repreendeu e os retiraram do evento.

No fim da apresentação, Djonga foi para a galera e cantou parte das últimas músicas no meio do público.

A descentralização da Virada Cultural é um dos motivos para um público um mais reduzido na região.

Quando começou, em 2005, a Virada Cultural tinha como objetivo oferecer atrações e intervenções artísticas gratuitas no centro de São Paulo, por 24h, reforçando a ideia de "cidade que não para". Porém, a partir de 2016, sob a gestão de Bruno Covas, o evento se descentralizou e as atrações foram divididas em diversos bairros e regiões da cidade.

Deixe seu comentário

Só para assinantes