PUBLICIDADE
Topo

Luciana Bugni

Urach se diz "propriedade" do marido: e quem não consegue deixar submissão?

Andressa Urach e marido: "minha propriedade" é o caminho da violência para muitos casais - Instagram
Andressa Urach e marido: "minha propriedade" é o caminho da violência para muitos casais Imagem: Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

26/06/2021 18h56

Andressa Urach, que muita gente conhece como vice miss Bumbum, já passou por muita coisa. Como ela mesma diz que mentiu fatos sobre seu passado, não dá para saber direito o que é verdade ou não. Na sexta (25), ela afirmou que seu marido é dono de seu corpo — coisas que, mesmo que estejam escritas do Instagram, são realmente difíceis de acreditar.

Mesmo que as relações sexuais que ela afirma ter tido com o jogador português Cristiano Ronaldo, por exemplo, sejam uma incógnita, outras questões são reais e pesadas. Ela narra em seus dois livros, que venderam centenas de milhares de exemplares, problemas de saúde que quase a levaram à morte, um passado como garota de programa e histórias familiares de abandono na infância.

Viver da imagem de um corpo esculpido e escorada em mentiras que ela criou para alcançar o sucesso que tanto almejava deve ser muito difícil.

Mas a apresentadora chegou ao seu limite: esteve muito perto da morte em 2015, após infecções generalizadas causadas pela aplicação de hidrogel para aumentar suas curvas. Entrou em coma e afirma ter tido uma experiência de quase morte. Desde então, ressignificou muita coisa em sua vida, se converteu evangélica e passou a condenar a própria vida progressa.

Uma nova vida

Hoje, Andressa é casada com Thiago Lopes, a quem conheceu no ano passado. Eles se casaram um mês depois do primeiro encontro. É ele, Thiago, que Andressa afirma seu seu dono. Ela diz no post que a mulher não tem propriedade do próprio corpo e sim o marido. E que gostaria que outras mulheres encontrassem homens como ela encontrou. "Vocês vão amar ser submissas", ela afirma no post.

É complicado dizer isso porque, por mais que Andressa esteja bem com sua escolha, há mulher submissas que se mantém em relacionamentos nocivos e agressivos e, acuadas, têm medo de sair desse ciclo. Quando ela afirma que o marido é seu dono, pode estar incentivando outras mulheres a entrarem nesse ciclo — e sair dele pode ser muito difícil.

Thiago endossou o post da mulher e pegou ainda mais pesado: "Minha propriedade", ele disse na legenda. Para depois afirmar: ˜Exemplo de submissão: se toda mulher se submetesse ao marido, o mundo seria um lugar mais próspero".

Eita, Thiago. Para supor que toda mulher devia fazer o mesmo, ele presume que todos os homens são legais. Ele se coloca acima da mulher e a trata como se ela fosse uma SUV potente que ele adquiriu numa feira de automóveis. Outra dúvida que fiquei: desde quando um mundo próspero é prioridade nas relações amorosas? E quem garante que são os homens que deixariam o mundo próspero? Propriedades são objetos (carros que homens e mulheres queiram ostentar por aí). Pessoas constroem relações juntas.

E outro ponto importante nisso: como Thiago pode dizer o que eu e outras mulheres devemos fazer para deixar o mundo (dele) melhor?

Andressa parece feliz e apaixonada. Que bom para ela, depois de afirmar ter sofrido tanto. Ela fez seu caminho e encontrou um amor que a completasse desse jeito. Complicado é colocar isso como exemplo de conduta na internet — sabendo que esse tipo de pensamento é a porta de entrada para relações abusivas.

Amanhã ela pode mudar de ideia, dizer que não era nada disso, e, se decidir, terá força para deixar de ser submissa e voltar a ser dona de sua vida.

E quem não tem?

Você pode discordar de mim no Instagram.