PUBLICIDADE
Topo

Acabou o expediente no home office? Está na hora de fazer o home bar

"Atacar de" bartender pode ser uma diversão durante o isolamento - Unsplash
"Atacar de" bartender pode ser uma diversão durante o isolamento Imagem: Unsplash

Pedro Marques

Colaboração para Nossa

27/03/2020 04h00

Ficar em casa é imprescindível nesses tempos de coronavírus e isolamento. Ficar sem beber, não. Quem gosta de cerveja e vinho não passa aperto: é só pedir por aplicativo ou comprar no mercado (enquanto dá) e abrir a garrafa ou lata. Já os bebedores de drinques precisam se virar e colocar a mão na coqueteleira, afinal não tem delivery de bartender, até onde se sabe.

Para nossa alegria, fazer coquetéis não é nenhuma ciência do outro mundo. Com um copo, uma colher e gelo já dá para preparar bastante coisa. Mas, como estamos em período de isolamento, investir em alguns equipamentos básicos para seu "home bar" pode ser uma forma de distrair a cabeça e aprender mais sobre o assunto.

Com alguns itens básicos, dá para fazer o happy hour em casa  - Unsplash - Unsplash
Com alguns itens básicos, dá para fazer o happy hour em casa
Imagem: Unsplash

Por isso pedimos a ajuda do premiado barman Sylas Rocha, que prepara coquetéis clássicos e autorais no Caulí Lounge Bar, em Pinheiros (que está fechado por tempo indeterminado, como todos os outros bares da cidade). Rocha indica equipamentos que podem ser comprados online e ingredientes fáceis de achar em um supermercado para dar um grau no seu bar. Com as dicas do expert, é possível criar cerca de 100 coquetéis diferentes - é só usar a criatividade. Confira a seguir.

Coqueteleira (acima), dosador (à esquerda) e coador (abaixo à esquerda) são acessórios indispensáveis - Unsplash - Unsplash
Coqueteleira (acima), dosador (à esquerda) e coador (abaixo à esquerda) são acessórios indispensáveis
Imagem: Unsplash

Coqueteleira

"É o item mais importante", diz Rocha. É usada não só para misturar as bebidas, mas também para deixá-las geladas: antes de bater o drinque, ela costuma ser preenchida com gelo. A mais usada é a do tipo Boston, com dois copos, sendo que o menor encaixa no maior. Já a standard tem coador embutido, o que pode facilitar no preparo de receitas com frutas. A partir de R$ 35.

Colher de bar

Em vez de mexer seus coquetéis com uma colher de sobremesa ou de sopa, aposte uma bailarina, como esse utensílio também é chamado. Por ser mais comprida, faz menos sujeira na hora de misturar os ingredientes no copo. "Às vezes, ela é usada até como medida para receitas", destaca Rocha. Custa a partir de R$ 15.

Coador

Em bares, o modelo chamado strainer é o mais usado, porque ele praticamente encaixa no copo da coqueteleira. Um coador fino também é importante. "O strainer segura bem o gelo e ingredientes grandes, enquanto a peneira fina eu uso em drinques em que não quero que apareçam fiapos de frutas e outros ingredientes menores", explica o barman. O strainer é encontrado por cerca de R$ 30.

Dosador

Parece uma ampulheta, sendo que um dos lados é menor que o outro. O motivo é simples: de um lado você mede uma dose inteira, do outro, metade. "Mas dá para improvisar com um copo de shot, que costuma ter 50 ml, ou uma dose", diz Rocha.

Gelo é parte essencial de um bom drinque - Unsplash - Unsplash
Gelo é parte essencial de um bom drinque
Imagem: Unsplash

Gelo

"Enquanto há gelo, há esperança." Esse é um ditado bem comum em bares do mundo inteiro e que você também deve prestar atenção em seu home bar - quanto mais, melhor. Segundo o bartender, os iniciantes se confundem e usam pouco gelo, com medo de deixar a bebida água.

"Mas é o contrário. Em um gim tônica, por exemplo, quanto mais gelo colocar, mais gelado o copo fica e a temperatura se mantém por mais tempo", ensina. Já em um coquetel mais forte, como um negroni ou um old fashioned, a dica é usar menos gelo. "O copo vai esquentar mais rápido e o gelo vai derreter. Com isso, o coquetel fica mais leve e fácil de beber."

Caipirinha, highball ou gim tônica? Em casa, a escolha é toda sua - Unsplash - Unsplash
Caipirinha, highball ou gim tônica? Em casa, a escolha é toda sua
Imagem: Unsplash
Limão e açúcar

"Com esses dois ingredientes, sua vida está 50% garantida", brinca o bartender. Além de serem essenciais em uma caipirinha, Rocha explica que limão e açúcar são a base de outros clássicos. "Com rum, faço um daiquiri. Se tiver gim, tenho um gimlet", explica.

Aposte no highball

Para variar ainda mais, Sylas recomenda abastecer seu home bar com bebidas sem álcool, como tônica, club soda e sucos para preparar highballs, drinques que têm como base um destilado, gelo e uma bebida sem álcool. "Variando só o destilado e usando um suco ou refrigerante, dá para fazer quase 100 drinques diferentes", garante o especialista.

Regra de ouro

Quem gosta de bebidas mais doces, pode pensar em comprar um licor (o sabor você escolhe). "Tem uma regra da coquetelaria americana que manda misturar uma dose de destilado com meia dose de licor em um copo alto com bastante gelo e depois completar com uma bebida sem álcool. Fica equilibrado e dá certo em 99% dos caso", afirma o barman