PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Vida do ex-campeão Wanderlei Silva será contada nas telas

Wanderlei Silva celebra vitoria contra Michael Bisping no UFC  - Jon Mark Nolan/Getty Images
Wanderlei Silva celebra vitoria contra Michael Bisping no UFC Imagem: Jon Mark Nolan/Getty Images

Ana Flávia Oliveira

UOL, em São Paulo

07/07/2021 04h00

A vida de Wanderlei Silva, ex-lutador do UFC e ex-campeão do Pride, poderá ser acompanhada nas telas em breve. A Luppi Produtora adquiriu os direitos da biografia "Wanderlei Silva Sem Coleira", escrita pelos jornalistas Thiago Parijani e Luiz Henrique Gurian e publicada em outubro do ano passado, e pretende lançar um filme ou uma série sobre o "Cachorro Louco" até junho de 2022.

As possibilidades estão abertas —inclusive podem ser as duas para públicos diferentes. Quem vai decidir sobre o formato será a empresa que investir na produção. Luiz Pereira, produtor e sócio da Lupi Produções/Excelsior Filmes, contou que está em contato com uma empresa no Japão para produzir um filme, a ser lançado no país asiático, e com plataformas de streaming, como Netflix, Amazon, Disney Plus, para o público brasileiro. Há ainda tratativas com o mercado estadunidense e latino-americano.

"O projeto está praticamente fechado com um parceiro no Japão para o filme. Só falta assinar o contrato", diz Pereira ao UOL Esporte.

O produtor explica que o projeto interessa muito ao mercado japonês, já que o fio condutor da história serão justamente os duelos contra Kazushi Sakuraba, que era considerado carrasco dos brasileiros no início dos anos 2000. Conhecido como "Caçador de Gracies", o japonês já havia derrotado sete brasileiros no Pride (maior evento de MMA da Ásia), entre eles, Royler, Royce, Renzo e Ryan Gracie, da família considerada criadora do jiu-jitsu brasileiro. Não conhecendo a fama do adversário, Wanderlei quebrou a hegemonia do japonês e o nocauteou nas três lutas que fizeram, entre 2001 e 2003, se tornando um ídolo na Terra do Sol Nascente, campeão no Pride e depois lutador do UFC, maior evento de MMA do mundo.

Kazushi Sakuraba em dezembro de 2015 - Etsuo Hara/Getty Images - Etsuo Hara/Getty Images
Kazushi Sakuraba foi derrotado por Wanderlei Silva três vezes
Imagem: Etsuo Hara/Getty Images

"O filme interessa ao mercado externo por causa do Sakuraba. E o recorte que a gente dá, o fio condutor, é a luta do Wanderlei com o Sakuraba. A primeira luta que ele foi, por exemplo, ele não sabia quem era o cara. E disseram para ele: 'pô, você está fodido, o cara é campeão aqui no Japão'", conta Pereira. "Para ele [Wanderlei], não tinha escolha. Na cabeça dele, [era] qualquer um... Quando o cara está imbuído de uma coisa, tem um sonho, quer realizar, a força interna ajuda muito, né? E o Wanderlei era um desses, ele não queria escolher, ou talvez, naquela época, no início, ele não podia escolher. Viesse quem viesse, ele teria que derrotar".

Com o roteiro assinado por Vitor Navas, que trabalhou em grandes sucessos cinematográficos como "Carandiru" e "Cazuza - O tempo não para", a obra partirá das vitórias sobre Sakuraba para contar como Wanderlei Silva chegou ao estrelato e se consolidou como um dos maiores nomes do MMA no planeta. A produção promete não deixar fora passagens sobre a infância do lutador, na periferia de Curitiba, e as inseguranças do adolescente, que se achava "feio" e "gordo" e procurou nas artes marciais uma forma de se tornar mais atraente para o público feminino. Também terão lugar especial as primeiras lutas, os grandes confrontos contra Quinton "Rampage" Jackson e Dan Henderson, a rivalidade contra Victor Belford e Chael Sonnen, o casamento com a esposa Téa, o nascimento dos filhos e a relação com a família.

"Quem ali [no Pride] era a ponta de tudo eram os Gracies, né? E o Wanderlei quebrou essa cadeia de sucesso dos Gracies. Ele foi um, que não é Gracie, que conseguiu se firmar. Realmente a vida dele foi uma luta, e ele se deu bem em todas", teoriza Pereira.

Wanderlei Silva após derrotar Quinton Rampage Jackson pelo Pride - Marcelo Alonso - Marcelo Alonso
Wanderlei Silva após derrotar Quinton Rampage Jackson pelo Pride
Imagem: Marcelo Alonso

Por falar em Gracie, o nome pensado para viver Wanderlei Silva nas telas é justamente o de Malvino Salvador, marido da pentacampeã mundial de jiu-jitsu Kyra Gracie, sobrinha dos lutadores Ralph, Renzo e Ryan Gracie (esses dois últimos derrotados por Sakuraba). Adepto das artes marciais, o ator é faixa marrom de jiu-jitsu.

"A gente pensa em alguns nomes, mas o ator será escolhido depois que tivermos diretor porque o diretor tem uma visão dele quando recebe o roteiro do filme, né? Tem que ter um consenso sobre quem vai ser chamado. Mas o Malvino Salvador tem sido assim um consenso para mim, para o Vitor [Navas], para o Thiago e por parte do Wanderlei também. Eles gostam muito dele", diz Pereira, que ainda não entrou em contato com o ator.

Malvino Salvador - Reprodução/Instagram/Guilherme Lima - Reprodução/Instagram/Guilherme Lima
Malvino Salvador
Imagem: Reprodução/Instagram/Guilherme Lima

Mesmo que Salvador ainda não tenha sido convidado, Wanderlei já aprovou o nome: "Seria ótimo [ter o Malvino Salvador]. Ele é um grande ator e realmente entende do nosso assunto. Seria muito muito legal ter ele vivendo, sendo o Wanderlei Silva", afirma o lutador ao UOL.

"Eu imagino que a minha vida sendo contada nas telas venha inspirar as pessoas e mostrar que uma pessoa normal pode se tornar uma pessoa extraordinária, que é o que aconteceu na minha vida. Que outros possam ter a oportunidade que eu tive, de poder descobrir um talento, de poder vir a ser um ícone. Eu espero que seja realmente uma grande obra."

Do livro para as telas

Luiz Pereira disse que antes de receber a biografia de Wanderlei Silva nas mãos, no início deste ano, já havia notado que não havia muitas produções relacionadas à vida de lutadores brasileiros nas plataformas de streaming. Lembrou apenas de "Mais forte que o mundo - a história de José Aldo", filme disponível na Netflix, e de "10 segundos para vencer", uma microssérie em quatro episódios baseada na vida do pugilista Éder Jofre e que pode ser acompanhada na Globoplay.

"Eu vislumbrei uma lacuna nesse segmento sobre a vida e as lutas de algum lutador importante brasileiro. E aí surgiu a oportunidade com o livro dele. Eu achei ótimo porque já tinha pensado em alguma coisa, mas até então não tinha visto nada no mercado, tampouco o livro. A gente acabou fechando."

Capa da biografia Wanderlei Silva Sem Coleira - Divulgação - Divulgação
Capa da biografia Wanderlei Silva Sem Coleira
Imagem: Divulgação

O livro chegou às mãos de Luiz por meio da editora Mari Vieira, amiga em comum com um dos autores da obra, Thiago Parijani. "Conheço o Luiz de longa data. A gente já tinha trocado uma ideia antes de começar a pegar editora e tudo mais. Ele era o cara que eu confiava para tocar o audiovisual. Mas eu tinha até esquecido desse detalhe porque não estava focado no audiovisual. Eu queria degustar o projeto do livro, do e-book, que está sendo lançado agora no dia 20 de julho. E aí calhou de o Luiz reaparecer", diz o jornalista.

Ter uma biografia para nortear o projeto reduz o tempo que demandaria para escrever o roteiro do zero, diz Pereira. "Em vez de eu sentar com o roteirista e ficar de seis meses a oito meses [para escrever do zero], o livro agiliza muito a produção de conteúdo audiovisual para parte das plataformas de streaming. O livro já está escrito. Você compra o livro e em até uma semana, já sabe qual a história", explica.

Agora é só aguardar para saber como a vida de Wanderlei será contada nas telas. Parijiani, que dá suporte à produção do roteiro, já deixa no ar uma dica: "Algumas nuances do livro vão ser fortalecidas no audiovisual. É uma outra pegada, outra leitura. Então coisas muito interessantes estão por vir. [...] Muita gente vai se remeter a um grande sucesso de Hollywood quando assistir ao filme do Wanderlei". E aí, alguma aposta sobre qual será?

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do informado neste texto e na home do UOL, Wanderlei Silva foi campeão do Pride, mas não chegou a ganhar um cinturão no UFC. O erro foi corrigido.

MMA