PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Rival do Inter, Olimpia teve Adebayor por apenas quatro jogos em 2020

Adebayor jogou pouco pelo Olimpia e acabou deixando o clube sem marcar gols - Divulgação
Adebayor jogou pouco pelo Olimpia e acabou deixando o clube sem marcar gols Imagem: Divulgação

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

22/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

Em 11 de fevereiro de 2020, o Olimpia anunciou um reforço impactante. O rival do Inter na noite de hoje (22) pelas oitavas de final da Libertadores firmou a contratação de Emmanuel Adebayor, astro de Togo com passagens por Real Madrid, Arsenal e Manchester City, entre outros clubes na Europa. Mas a expectativa virou frustração rapidamente, numa passagem que durou apenas quatro jogos e sequer teve um gol marcado.

Adebayor assinou um vínculo que iria até dezembro do ano passado. O plano era arcar com o alto salário do jogador com venda de camisas, novos sócios, ações de marketing e recursos egressos da presença de público nos estádios.

Mas a iniciativa já se viu frustrada muito perto do início. Adebayor estreou em 23 de fevereiro, contra o Cerro Porteño, enfrentou o Delfín, pela Libertadores, o River Plate do Paraguai pelo campeonato nacional, e o Defensa y Justicia novamente pela competição continental. Só isso.

Com a pandemia de novo coronavírus, em meados de março as competições foram paralisadas. A incerteza reinava no cenário do futebol quando, sem autorização do Olimpia, o centroavante embarcou para seu país.

Ele permaneceu em Togo durante o início do período de quarentena. Por lá, inclusive, se envolveu em uma polêmica ao afirmar que não faria qualquer doação para os necessitados em razão da pandemia.

Com o reinício do Campeonato Paraguaio marcado para junho, a direção do Olimpia entrou em contato com o jogador, solicitando regresso. O custo da viagem e a necessidade de fazer várias paradas — aumentando chance de contágio — assustaram o comando. Enfrentando uma grave crise, o clube não se via em condições de arcar com aproximadamente 150 mil dólares (R$ 780 mil na cotação atual) para ter o atleta novamente em seu elenco.

A crise financeira, reflexo das restrições impostas pela pandemia, atingiu em cheio o plano do clube para manter o jogador. Com a redução de sócios em dia, sem presença de público nos estádios e com uma queda importante na comercialização de produtos e ações de marketing, era impossível manter a estrela no grupo.

Desta forma, a direção do Olimpia acertou o rompimento do vínculo com o jogador. O valor da rescisão foi estabelecido em 500 mil dólares (R$ 2,5 milhões na cotação atual), pagos de forma parcelada.

"Agradecemos ao Sr. Emmanuel Adebayor por ter confiado em nós. Estamos orgulhosos de que com seu invejável currículo esportivo ele tenha passado pela história do clube e desejamos-lhe sucesso no seu futuro", publicou o clube em suas redes sociais na ocasião.

Adebayor esteve em campo por 217 minutos divididos em quatro compromissos, não marcou nenhum gol e ainda recebeu um cartão vermelho ao dar uma "voadora" em um rival no jogo contra o Defensa y Justicia.

Sem ele, o Olimpia conquistou o Torneio Clausura do Campeonato Paraguaio do ano passado e avançou em segundo no grupo B da Libertadores deste ano, encarando o Colorado — que esteve na mesma chave — nas oitavas.

Adebayor segue sem clube. Hoje aos 37 anos, registra frequentes encontros com crianças e políticos em seu país com fotos em sua conta no Instagram, mas não retomou a carreira ou mesmo oficializou aposentadoria.

O empate em 0 a 0 no jogo de ida deixa a vaga nas quartas de final da competição de clubes mais importante do continente totalmente indefinida. Quem vencer entre Inter e Olimpia, a partir das 21h30 (de Brasília), no Beira-Rio, avança. Empate sem gols leva a decisão para os pênaltis e igualdade com gols coloca o time paraguaio na fase seguinte.

Internacional