PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Perrone: pressão a Abel, Ceni e Mancini tem a ver com Renato no mercado?

Do UOL, em São Paulo

19/04/2021 04h00

Renato Gaúcho está livre no mercado e já faz "sombra" em alguns treinadores. Vagner Mancini, Abel Ferreira e Rogério Ceni foram vítimas de protestos de torcedores de Corinthians, Palmeiras e Flamengo, respectivamente. As manifestações críticas de parte destas torcidas e teria alguma ligação?

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte, com os jornalistas Isabela Labate, Débora Miranda, Menon e Ricardo Perrone, o futuro de Renato Gaúcho foi discutido, bem como as cobranças em cima de alguns técnicos dos principais clubes do país no momento.

"No primeiro fim de semana do Renato desempregado, teve nota da Gaviões pedindo a demissão do Mancini, teve nota da Raça Rubro-negra criticando o Rogério e teve um 'Acorda Abel' no muro. Será que é reflexo da sombra do Renato Gaúcho?", provocou Perrone.

Menon acha praticamente nula a chance de o treinador vir a trabalhar no Corinthians. "Renato é um grande treinador. Se a torcida do Corinthians o quer, pode parar de pensar. É muito dinheiro. A questão do Rogério é complicada. Ele foi campeão brasileiro. Nesse jogo contra a Portuguesa, se ele coloca o time titular, goleia e é criticado por não poupar para a Libertadores", comentou, citando o empate por 2 a 2 do Fla no Campeonato Carioca.

Débora acha que o interessado em contratar Renato Gaúcho precisa oferecer condições especiais para que ele tenha sucesso. "Não dá pra avaliar ainda o Renato treinador. Não é para todos os times. Ele tem gênio muito forte, visão específica, quer do jeito dele. Vai haver algumas situações de ele tentar alguns times e não dar certo. Ele precisa dar match com algum time. Pode ser excelente técnico para algum time grande", avaliou.

Para Perrone, o momento é de cautela sobre as chances de Renato Gaúcho assumir o comando de algum clube de ponta. "Quem o quiser precisa pensar no pacote. Ele é um cara caro. No Grêmio, ele foi ídolo no clube e teve tempo para trabalhar. Ele deu certo lá nestas condições. Não significa que não possa dar certo de outra forma. O mais prudente para quem quiser contratá-lo é olhar e projetar. No Corinthians, não dá, pois ele vai pedir jogador. No Flamengo, talvez, Ele foi ídolo lá, mas não sei se o clube lhe daria tempo para trabalhar", concluiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol