PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ariel Holan estuda Santos, aprova legado de Cuca e deve chegar no sábado

Ariel Holan, treinador da Universidad Católica - Divulgação/U. Católica
Ariel Holan, treinador da Universidad Católica Imagem: Divulgação/U. Católica

Eder Traskini e Gabriela Brino

Colaboração para UOL, em Santos

23/02/2021 04h00

O Santos anunciou a contratação de Ariel Holan na tarde de ontem (22). E a expectativa é de que o treinador argentino chegue no sábado (27) à Baixada Santista e já dê início aos trabalhos na próxima semana, com o Campeonato Paulista 2021 já em andamento.

Segundo apurou o UOL Esporte, o novo treinador do Peixe, de 60 anos, virá acompanhado apenas de sua esposa. Ele tem duas filhas e é avô de dois meninos: um de 3 e outro de 5 anos. Holan ainda não conhece a cidade de Santos e não decidiu onde irá morar, por isso ficará em um hotel até definir.

Enquanto o treinador não chega, o Santos estará sob o comando do auxiliar-técnico Marcelo Fernandes, depois de Cuca ter se despedido do grupo no último domingo (21), após empate com o Fluminense. Pois o argentino vê com bons olhos o trabalhado deixado por Cuca.

Com o Brasileirão prestes a acabar — na quinta-feira (25), o Santos enfrenta o Bahia pela última rodada do torneio — e o início do Paulistão, os meninos da base receberão novas oportunidades e serão testados.

Holan, inclusive, é adepto de usar os jogadores mais jovens. Estudioso, ele já conhece boa parte do elenco do Peixe. Nos últimos dias. ele tem assistido somente a jogos do Santos com o intuito de conhecer a forma como o time jogou na temporada, tendo chegado à final da Libertadores. Além do mais, pode conhecer detalhes sobre seus futuros jogadores. Ele pretende entrosar ainda mais a molecada com os veteranos.

Além de estudioso, o comandante do Peixe usará a tecnologia como sua aliada. Ele crê que os mais diversos equipamentos podem ajudar muito no processo de entendimento sobre seus jogadores. Inclua aí o GPS, por exemplo. Analisa com cuidado informações que vêm dos preparadores físicos, médicos e nutricionistas. O argentino também utiliza imagens de drones para corrigir erros e apontar acertos, por exemplo. E considera esse acompanhamento detalhado no Brasil ainda mais importante, devido a um calendário extenso de partidas.

Perfil incomum

Colunista do UOL Esporte, o jornalista Tales Torraga contou um pouco da trajetória incomum de Holan rumo à elite do futebol sul-americano. Sua primeira experiência com o esporte de elite foi pelo hóquei na grama.

"Holan tem 60 anos e uma carreira das mais incomuns. Começou como treinador das seleções femininas de hóquei na grama na Argentina e no Uruguai. Obcecado, vendeu um carro e comprou um computador de última geração para analisar dados. Só andou de carona e transporte público durante quatro anos. Neste período, ganhou o bronze com as meninas uruguaias no Pan de 2003, melhor resultado da história do país", contou.

"Ariel trocou os tacos pelas chuteiras no próprio 2003. Fez estágios com técnicos como Daniel Passarella, Jorge Burruchaga e Matías Almeyda. Galgando estágios e consolidando sua fama de 'cientista da bola'. Ele é técnico principal há apenas seis anos — foi em 2015 que ele estreou no Defensa y Justicia."

Futebol