PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu vê assédio a Xerém e integrará destaques do sub-17 ao profissional

Matheus Martins, Kayky Chagas e Metinho estarão no profissional do Fluminense em 2021 - Mailson Santana/Fluminense FC
Matheus Martins, Kayky Chagas e Metinho estarão no profissional do Fluminense em 2021 Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/01/2021 08h58

Tida como a melhor da história de Xerém, a "geração dos sonhos" de jogadores nascidos em 2003 e 2004 recebe assédio no mercado da bola. Apesar de não ter pressa para negociar suas joias, o Fluminense sabe que está pressionado. Por isso, integrará destaques da equipe sub-17 aos profissionais já em 2021.

Destaque e artilheiro do título do Campeonato Brasileiro sub-17 de 2020 com 12 gols, Kayky Chagas recebeu uma proposta oficial do Shakhtar Donetsk, já negada pelo Tricolor. O papel timbrado previa 5 milhões de euros de imediato e metas que poderiam fazer o valor chegar a 15 milhões de euros por 70% dos direitos econômicos do atacante de 17 anos, mas o Flu considerou os números muito baixos pelo jogador.

Além dos ucranianos, o City Football Group também prepara uma oferta pelo jogador, que já foi citado como uma das maiores revelações do mundo pelo jornal espanhol "As" e pelo periódico inglês "The Guardian". Chamado de "Neymar Canhoto" pela página "Football Talent Scout", o menino foi considerado o melhor sub-17 do mundo na última temporada.

O grupo de Abu Dhabi também quer outra joia da categoria: o volante Metinho, congolês naturalizado brasileiro e torcedor declarado do Fluminense. A ideia do City é desenvolver os dois nos clubes menores que detém até aproveitá-los no Campeonato Inglês, o que a princípio não interessa ao estafe da dupla, ambos ligados à Pro Manager, de Fred Moraes.

O UOL Esporte antecipou que os dois serão integrados ao profissional ainda em 2021, como forma de valorização dos atletas e barganha para possíveis renovações, que já foram tentadas, mas ainda não se efetivaram após propostas feitas pela diretoria.

Após Marcos Paulo, Atleti quer Matheus Martins

O Atlético de Madrid já sabe que contará com Marcos Paulo, mas ainda não decidiu quando. A ideia do jogador e do Fluminense é que o jovem de 18 anos já troque o Rio de Janeiro pela capital espanhola nesta janela de transferências. Para isso, o clube pede um pagamento e a manutenção de uma porcentagem de seus direitos econômicos.

O único fator que ainda mexe com os espanhóis nesta negociação é o interesse em outra joia: Matheus Martins, meia-atacante do sub-17.

Matheus Martins atrai o interesse do Atlético de Madrid e outros gigantes europeus - Mailson Santana/Fluminense FC - Mailson Santana/Fluminense FC
Matheus Martins atrai o interesse do Atlético de Madrid e outros gigantes europeus
Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

O jovem é outro dos destaques do time de base que atrai interesse de gigantes europeus. Os colchoneros já pediram informações do atleta outras vezes. O Fluminense se reuniu com os agentes do atacante, que pertence à Rogon Sports, parceira da Brazil Football, ontem (27). O clube deseja renovar com o jogador, que tem multa de 40 milhões de euros e também foi comunicado que será integrado aos profissionais em 2021.

"Maior joia", Arthur tem projeto especial

Considerado a maior revelação de todos os tempos de Xerém, o meia Arthur é o dono de meio de campo do sub-17 do Fluminense e camisa 10 da seleção brasileira da categoria. Isso tudo aos 15 anos.

Arthur é considerado a maior joia de Xerém pelo Fluminense - Daniel Perpétuo/Fluminense FC - Daniel Perpétuo/Fluminense FC
Arthur é considerado a maior joia de Xerém pelo Fluminense
Imagem: Daniel Perpétuo/Fluminense FC

Por isso, o Tricolor montou um projeto especial para o jogador, que mesmo antes do assédio do mercado aos seus companheiros de "geração dos sonhos" já previa um "estágio" no profissional, que começou em 2020 e se intensificará em 2021.

O meia tem tudo para pular o sub-20 do Fluminense, mas ainda deve passar por degraus antes. Internamente, o Fluminense quer se proteger não só do assédio, mas também de certa desconfiança. O empresário do jogador, Rodrigo Pitta, tem bom trâmite nas Laranjeiras, mas o clube sabe do valor que o jogador possui e não quer arriscar.

A família é vista como um trunfo: mais conscientes do que outras revelações de Xerém, desejam um desenvolvimento físico, psicológico e esportivo do jogador antes de partir para a Europa, apesar da vontade do menino e de seus agentes de trocar o Brasil pelo velho continente.

Siga o UOL Esporte no

Fluminense