PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Finalista da Libertadores pelo Santos, Cuca foi "sonho" do Botafogo em 2020

Cuca beija imagem de Santa em classificação contra o Boca Juniors - Ivan Storti
Cuca beija imagem de Santa em classificação contra o Boca Juniors Imagem: Ivan Storti

Do UOL, em Santos (SP) e Rio de Janeiro (RJ)

17/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

Finalista da Copa Libertadores da América no comando do Santos, o técnico Cuca é "sonho de consumo" do Botafogo e foi procurado antes do acerto do clube com Paulo Autuori, mas não houve avanço. Meses depois, assinou com o Peixe e, mesmo em meio a um cenário conturbado nos bastidores, conseguiu sucesso nas quatro linhas. Hoje, as equipes se encaram na Vila Belmiro em momentos distintos no Campeonato Brasileiro. Enquanto o Santos quer se aproximar do G4, o Botafogo tenta uma vitória desesperadamente para se manter de pé na luta para fugir do rebaixamento.

O clube carioca iniciou o ano com Alberto Valentim à beira do gramado, mas ainda no começo de fevereiro o demitiu. Logo que o adeus foi concretizado, o nome no topo da lista de interesse era Cuca. Ainda sob a esperança de que o projeto de transformação do departamento de futebol em S/A se concretizasse de maneira breve, o então Comitê Gestor de Futebol do Alvinegro o procurou.

O treinador teve uma boa passagem pelo Glorioso entre 2006 e 2008 e, até hoje, tem o carinho da torcida. Cuca, porém, não deu continuidade a esse primeiro contato. À época, inclusive, a rápida negativa causou chateação na cúpula.

"O problema do Botafogo não é treinador, não é diretoria, não sei explicar. Logicamente, não é a torcida. Queria ver o Botafogo lutando por títulos todo ano, Campeonato Brasileiro e Libertadores. Esporadicamente, busca vaga na Libertadores, é mais brigando para não cair. Estou esperançoso com a S/A, que dê aquele up que o Botafogo precisa dar. Os outros [clubes] estão se distanciando, não pode. O Botafogo tem de estar em cima sempre. Quero ganhar, ir para um lugar que possa ser campeão. Um dia o Botafogo vai me dar essa condição. E é um lugar que vou para ser campeão. Não morro sem ser campeão pelo Botafogo", disse Cuca, em uma entrevista ao "Canal do TF", em maio do ano passado.

O Glorioso, então, negociou e teve sucesso no acerto com Paulo Autuori, que havia deixado claro ter desviado o planejamento que tinha para a carreira no futebol brasileiro para comandar a equipe. Uma forma de gratidão ao clube onde foi campeão do Brasileiro, em 95. Havia a intenção de, assim que a S/A saísse do papel, ele assumisse um cargo de gestão. A S/A atrasou, os resultados em campo não aconteceram e Autuori saiu em outubro, após quase oito meses.

De lá para cá, o Botafogo teve mais três técnicos: Bruno Lazaroni, o argentino Ramón Díaz, demitido sem nem sequer estrear, e Eduardo Barroca. Em crise financeira, com falhas no planejamento — foram 25 contratações, e alguns nem mais no clube estão —, e com os astros Honda e Kalou sem engrenar, o time não conseguiu bons resultados. Hoje, tem 98,5% de chances de queda, segundo dados da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Recém-empossado como presidente, Durcesio Mello tenta movimentações buscando salvar e, ao mesmo tempo, já inicia o planejamento para a próxima temporada.

O 2020 do Santos também foi agitado. O time começou com o português Jesualdo Ferreira à beira do gramado, mas os resultados não foram os esperados e, no começo de agosto, ele acabou demitido. Pouco depois, Cuca alinhou o retorno à Vila Belmiro.

Ainda em março, por causa de uma dívida com o Hamburgo, da Alemanha, devido à contratação do zagueiro Cléber Reis, o Peixe ficou proibido de registrar novos jogadores. Em setembro, nova punição, desta vez, ocasionada por um débito com o Huachipato, do Chile, pela transferência do atacante Soteldo.

Em setembro, o presidente José Carlos Peres sofreu impeachment e foi substituído pelo vice Orlando Rollo. Vencedor da eleição que foi realizada no ano passado, Andres Rueda tomou posse em dezembro. O elenco também convive com salários atrasados.

Houve ainda uma outra grave questão: a volta de Robinho. Anunciado em outubro, o jogador já era condenado, em primeira instância, por estupro coletivo de uma jovem albanesa na madrugada de 22 a 23 de janeiro de 2013, numa boate de Milão chamada Sio Café - na época, o brasileiro atuava pelo Milan. Após muita pressão e novos capítulos do caso serem revelados, o contrato foi suspenso dias depois da chegada dele ao clube. Atualmente, há conversas pela rescisão. Em dezembro, a corte de apelação da Justiça italiana confirmou condenação em segunda instância de Robinho e do amigo Ricardo Falco a nove anos de prisão .

Apesar dos obstáculos, Cuca conseguiu blindar o grupo e, dia 30, vai duelar pela sua segunda Libertadores — ganhou com o Atlético-MG, em 2013 — e pela quarta do Santos.

"As dificuldades são muito grandes. A gente não pode contratar, tem dificuldade no pagamento, na premiação. E sempre jogamos abertos, eles não ficam de picuinha e cara virada. Por isso chegamos, eles fazem por amor. Em qualquer outra situação, se rebelam. Aqui é diferente. A gente vai para uma final e canta o hino. Eu me boto no lugar de qualquer torcedor e estaria chorando. Além de dar a vida, com a dificuldade financeira, promovemos meninos. E indo para uma final de Libertadores. É um sonho realizado", afirmou o comandante, após a classificação.

"Botafogo joga o jogo da vida"

O técnico Cuca, ao salientar a força do elenco do Santos, apontou que ainda vai analisar junto ao departamento médico quem vai ser utilizado na partida de logo mais. Além disso, lembrou a importância que o duelo tem para o Botafogo, apontando que o Alvinegro "joga a vida" na competição.

"Aí entra a força do grupo. Ontem na reapresentação o DM estava cheio, não tinha um cara que não tinha dor. O Luan estava com o tornozelo assim, o Balieiro teve entorse no joelho, o Lucas Veríssimo abriu a cabeça, Pituca estava com uma dor, são muitos jogadores. Isso você tem que regenerar os caras. Se puser eles fora da condição ideal, além de não renderem o que podem eles vão correr risco grande de se machucarem. Temos que analisar hoje, ir no DM, ver quem tem ideais condições de treinar e preparar para o jogo do Botafogo. O Botafogo joga o jogo da vida, o jogo da luta, da permanência na Primeira Divisão. São todos jogos difíceis, cada um tem uma luta. A gente luta para entrar no G6, eles lutam para permanecer no Brasileiro. Temos que ter muita noção disso, muito respeito com o campeonato e todas as equipes que nós formos enfrentar", disse, ao UOL Esporte.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X BOTAFOGO


Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data: 17 de Janeiro de 2021, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Jose Eduardo Calza (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Santos:

Botafogo: Diego Cavalieri; Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luis; José Welison, Caio Alexandre e Bruno Nazário; Kelvin (Lecaros), Matheus Babi e Pedro Raul. Técnico: Eduardo Barroca