PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Yago elogia antecessores e exalta Roger no Flu: 'Dispensa comentários'

Yago marcou belo gol para sacramentar a vitória do Fluminense sobre o River Plate na Libertadores - Lucas Mercon/Fluminense FC
Yago marcou belo gol para sacramentar a vitória do Fluminense sobre o River Plate na Libertadores Imagem: Lucas Mercon/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

O ano de 2020 foi de afirmação para Yago, que teve sua primeira chance num grande clube ao chegar ao Fluminense após bom Brasileirão pelo Goiás. O jogador rapidamente virou uma das peças mais importantes do time de Odair Hellmann, foi mantido por Marcão e segue tendo destaque com Roger Machado. No primeiro trabalho com o novo técnico do Tricolor, o volante de 26 anos é só elogios.

"O Roger dispensa comentários. É um cara fantástico. Eu tenho evoluído muito, como muitos outros do grupo. Ele passa confiança, tranquilidade, mostra vídeos de detalhes onde precisamos melhorar, destaca os pontos positivos, e é muito transparente conosco, isso faz toda a diferença. Ele nos mostra o que os números para que a gente saiba o que está dando certo e onde precisamos melhorar para não sobrecarregar outros jogadores. Na ausência de tempo de treino, isso ajuda muito", declarou.

Mas para não ser injusto com seus antigos comandantes, Yago também exaltou o trabalho de Odair e Marcão. Para ele, a dupla foi responsável pela solidez do 2020 do Flu.

"Na verdade é um privilégio, porque são três grandes treinadores. Foi incrível trabalhar com o Papito [Odair Hellmann], que me ensinou muito deu muitas oportunidades e me fez evoluir demais. Assim como está sendo trabalhar com o Marcão, que segue com a gente, é uma lenda do clube, passa muita experiência, tranquilidade e conhecimento para os jogadores", disse.

As mudanças de treinadores também se refletiram no campo. Antes um meia, por vezes até ala, o jogador foi recuado de vez e virou um volante. A qualidade para sair jogando e o pulmão acima da média ajudaram na transição, e Yago se sente muito bem na posição.

"Eu jogo em qualquer lugar no meio campo. É uma função que gosto de fazer. Tenho capacidade para ajudar na parte defensiva. Nós temos jogadores talentosos na frente e temos que correr por eles mesmo, porque em uma bola eles decidem. Hoje em dia não tem só como marcar ou atacar. Assim como os atacantes ajudam na marcação, a gente ajuda no ataque", explicou.

Apesar disso, o 2021 do jogador tem uma fase mais "artilheira". Pisando mais na área sob o comando de Roger, Yago já marcou três gols em 17 jogos, mesma marca de todo o 2020 que viveu no Flu.

"Tem o dedo do Roger, sem dúvida. Ele cobra bastante para que o time tenha personalidade para jogar mais, que os defensores ajudem no ataque, é um cara que gosta de propor jogo. A gente às vezes recua bastante em alguns jogos, mas ele cobra muito para que a gente não faça isso, suba as linhas, pressione, se imponha. Eu não saio tanto para o jogo porque às vezes fica um espaço muito grande para marcar, que é minha prioridade. Mas sempre que aparece um espaço, eu tento chegar na área adversária", contou.

Fluminense