PUBLICIDADE
Topo

Flamengo de Ceni cria mais que o de Dome, mas acerta menos o gol

Rogério Ceni comanda o Flamengo em clássico contra o Botafogo pelo Brasileirão 2020 - André Mourão/FotoFC/UOL
Rogério Ceni comanda o Flamengo em clássico contra o Botafogo pelo Brasileirão 2020 Imagem: André Mourão/FotoFC/UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

10/01/2021 04h00

O Flamengo encontra hoje (10) o Ceará buscando a vitória para afastar as faíscas de crise que teimam em não apagar ao longo da temporada. A sete pontos do líder São Paulo, o triunfo se torna fundamental para um time que ainda sonha com a conquista do Campeonato Brasileiro. Algoz no primeiro turno, o Vozão, desta vez, encara um Rubro-Negro diferente. O duelo no Maracanã começa às 16h.

A conquista dos três pontos também é importante para Rogério Ceni, técnico que ainda busca engrenar o trabalho na Gávea e vem sendo questionado pela torcida. Dentre as críticas, comparações feitas com Domènec Torrent, demitido e que acabou dando vaga, justamente, ao ex-goleiro.

O espanhol teve início cambaleante e, quando conseguiu engatar uma sequência de vitórias, foi parado pelo Ceará, adversário de logo mais. Na ocasião, derrota por 2 a 0, no Castelão, em 13 de setembro.

Nas sete partidas que os dois treinadores tiveram em comum, até aqui, no Brasileiro — contra Atlético-GO, Coritiba, Botafogo, Santos, Bahia, Fortaleza e Fluminense —, Dome obteve aproveitamento melhor (76% contra 66%), mas o time de Ceni tem números mais proveitosos em médias de outros quesitos, como finalizações (16,7 x 13,4), chances (4,8 x 3,2) e passes (545,2 x 543,4).

Domenec Torrent comanda o Flamengo em jogo contra o Ceará pelo Brasileirão 2020 - Kely Pereira/AGIF - Kely Pereira/AGIF
Domenec Torrent comanda o Flamengo em jogo contra o Ceará pelo Brasileirão 2020
Imagem: Kely Pereira/AGIF

"O Rogério Ceni está tentando implementar no Flamengo ideias que são muito próximas àquelas que o Jorge Jesus implementava, ideias ofensivas. Liberdade de movimentação para os jogadores de ataque, não tem jogadores mais presos em um setor de campo como era com Domènec. Não estou fazendo juízo de valor, só pontuando a diferença entre um e outro, se pode jogar bem das duas formas. Então, o time está passando por uma readaptação a esse modelo ofensivo e os jogadores precisam desse tempo, dessa sequência, para que movimentos sejam automatizados de novo na cabeça deles", aponta o colunista do UOL Esporte Rodrigo Coutinho.

"Por isso que, às vezes, temos a sensação de que o Flamengo não está criando tanto. Mas o time está produzindo, sim, ofensivamente. Acho que o problema do Flamengo, hoje, não é tático. É um problema de foco, de concentração nos jogos, de confiança. Não é um time desorganizado, um time que não tem ideias, mas a execução dessas ideias precisa melhorar. Quando isso acontecer, a tendência é que faça mais gols, crie mais. Mas, ao mesmo tempo que tem de evoluir nesse ponto, precisa ser um time mais concentrado, intenso. O time tem oscilado muito neste aspecto", completa.

Um ponto que chama a atenção é a pontaria. Apesar do que foi apresentado, o Rubro-Negro, sob o comando de Ceni neste recorte analisado, acertou menos chutes ao gol (5,4 x 6,2). Depois de ter feito cinco gols em três jogos, nos triunfos sobre Botafogo, Santos e Bahia, a equipe marcou apenas um nas duas últimas partidas, na derrota no clássico com o Flu.

Após o duelo, inclusive, o comandante rubro-negro foi questionado sobre as oportunidades desperdiçadas e destacou que o time tem criado, mas lamentou o fato de a bola não estar entrando.

"Uma coisa é falta de repertório, outra é a bola não entrar. As bolas chegaram alçadas, por tabela. Finalizamos muitas bolas dentro do gol, inclusive. Para isso tem que ter repertório. A bola entrar ou não é circunstancial, não tem como fazer análise. Mais treinos de finalização do que treinamos, impossível. Infelizmente a bola não tem entrado".

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO x CEARÁ
Competição: Campeonato Brasileiro
Data e hora: 10/01/2021, domingo, às 16h (horário de Brasilia)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa/PR) e Sidmar dos Santos Meurer (PR)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

FLAMENGO:

CEARÁ: