PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Flu vira sobre o Fla, volta a vencer e impede rival de encostar no SPFC

Caio Blois e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

06/01/2021 23h29

Classificação e Jogos

Em um Fla-Flu eletrizante no Maracanã, o Fluminense jogou mal, mas se superou no segundo tempo, virou sobre o Flamengo com gol nos acréscimos e voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. De quebra, a vitória por 2 a 1 na noite de hoje (6), que mantém o Tricolor na briga por vaga na Libertadores, ainda impediu o rival de encostar no líder São Paulo.

Com 43 pontos, o Flu se mantém na sétima colocação do Brasileirão, mas encosta de volta nos seis primeiros da competição. Já o Fla, que cedeu a derrota, parou nos 49 e pode até cair para a quinta posição ao fim da rodada.

Uruguaios se destacam e são os melhores no Fla-Flu

Os uruguaios foram os destaques do Fla-Flu no Maracanã. Se do lado rubro-negro Arrascaeta carimbou as melhores jogadas do Flamengo, marcou o gol do time e carimbou o travessão, o uruguaio Michel Araújo se soltou da ponta direita após um primeiro tempo ruim e foi o melhor do Fluminense no jogo.

Flutuando por todo o ataque, o meia participou ativamente das melhores jogadas de ataque do Tricolor e por pouco não marcou um gol de placa no Maracanã após lindo passe de Fred — que também foi bem pelo Flu. Já o camisa 14 do Fla teve bastante companhia no ataque, mas acabou vendo a equipe errar muito nas tomadas de decisão.

Gabigol briga, mas desperdiça chance de ouro

Como de costume, o atacante Gabigol se mexeu incansavelmente, puxou a marcação dos zagueiros e abriu espaço para os companheiros. O artilheiro, no entanto, perdeu uma chance de ouro que teria mudado o roteiro do jogo. Com menos de um minuto, ele recebeu passe preciso de Filipe Luís, mas bateu por cima de Marcos Felipe. Ele foi substituído por Pedro.

Hudson mal toca na bola e faz Flu ficar lento

A atuação do Fluminense foi sofrível no primeiro tempo e teve um destaque negativo: Hudson. Pesado e lento, o volante atrapalhou a equipe nas transições e não compensou com forte marcação, como costuma fazer. Com a ideia de povoar o meio, o Flu se viu preso à lentidão do camisa 25, que fez partida ruim, mas permaneceu em campo até os 38 do segundo tempo.

Yago vira herói no fim

Se o Flu não fez grande atuação, um dos poucos destaques foi o volante Yago, que se desdobrou em campo e foi o mais dinâmico no meio da equipe comandada por Aílton. No fim, o camisa 20 foi premiado pela insistência e combatividade. Ele chegou mais rápido que Willian Arão após passe errado de Filipe Luís e tocou na saída de Hugo para ser o herói da virada do Fluminense no clássico. Cria da base do Flamengo, o jogador de 25 anos fez o seu terceiro gol com a camisa tricolor em grande estilo, decidindo o Fla-Flu no Maracanã.

Início avassalador do Fla

Como de costume nos tempos de Jorge Jesus, o Flamengo começou o jogo a todo vapor. O relógio ainda não marcava cinco minutos, e o Rubro-Negro já havia criado duas grandes chances, obrigando Marcos Felipe a salvar o Fluminense em cabeçada fulminante de Rodrigo Caio, logo após Gabigol bater por cima em linda jogada pela esquerda, por onde o time de Rogério Ceni concentrava suas ações ofensivas.

Flu abdica de jogar e assiste rival em campo

O primeiro tempo do Fla-Flu foi uma espécie de monólogo no Maracanã. Sem ideias, o Tricolor abdicou completamente de jogar e parecia torcer para passarem 90 minutos no relógio. Um deserto de ideias, intensidade e concentração, o Flu comandado por Ailton e inpirado em Marcão destruiu toda a competitividade que a equipe demonstrava com Odair Hellmann. A equipe se postava, por vezes, com cinco jogadores na primeira linha de defesa, e os pontas recuados isolando apenas Fred na frente. Mais sozinho que Robinson Crusoé, o camisa 9 brigava entre os zagueiros com pouquíssima chance de vitória nos duelos individuais. Atuação horrível do Fluminense nos primeiros 45 minutos.

Fla demora, mas abre o placar

Mesmo com um domínio abismal em campo, o Flamengo demorou a conseguir acertar o último passe e balançar as redes do Fluminense. Não fossem duas grandes defesas de Marcos Felipe, o Rubro-Negro já teria aberto o placar com Arrascaeta aos 33 minutos, mas o uruguaio precisou de mais uma chance, seis minutos depois, para enfim fazer 1 a 0. Éverton Ribeiro ganhou de Yuri pela direita, avançou e cruzou para a área. Matheus Ferraz tentou cortar, mas deu azar e a bola sobrou limpa para o camisa 14 balançar as redes, de cabeça, com o goleiro batido.

Flu quase empata com Yuri

Mesmo em atuação sofrível, o Fluminense conseguiu levar perigo no fim do primeiro tempo. Em sequência de escanteios, aos 50, Yuri pegou rebote, matou de cabeça e deu lindo voleio, mas Hugo salvou o Flamengo. Mesmo com a bola parada no ataque, Leandro Vuaden encerrou a primeira etapa sem deixar o Tricolor bater o que seria o quarto corner seguido.

Tricolor empata na bola parada

Ainda que não tenha mudado peças, o Flu voltou um pouco melhor na segunda etapa apenas por tentar enfrentar o Flamengo como sempre fez nos 109 anos do clássico mais tradicional do Rio de Janeiro. Aos seis, Wellington Silva cortou para dentro e chutou tirando tinta do gol de Hugo. E três minutos depois, o Tricolor, mesmo sem merecer tanto, chegou ao empate: Danilo Barcelos colocou a bola na área, e Luccas Claro subiu mais que a defesa rubro-negra para empatar. O auxiliar chegou a anular o gol, validado pelo árbitro de vídeo.

Flu cresce no jogo; Fla passa a errar muito

Ainda que quase tenha feito mais um logo na sequência, em cobrança de falta de Arrascaeta que parou no travessão, aos 15, o Fla passou a errar demais na construção de jogo. Por outro lado, o gol fez o Fluminense melhorar muito na partida. Com Fred funcionando bem no pivô e Michel Araújo mais solto em campo, sem ficar preso à ponta-direita como na primeira etapa, o Tricolor passou a assustar o Flamengo. Aos 16, o camisa 9 do Flu achou passe de craque para Araújo, que invadiu a área, tirou a zaga para dançar e acertou a trave de Hugo, já batido no lance. Já sem Fred e com Felippe Cardoso em campo, o Fluminense ainda teve outras duas chances, com o substituto do capitão e Yago, mas o Fla conseguiu segurar o ímpeto do rival.

Ceni lança Pedro e Diego, e Fla melhora

Mal no jogo e sentindo o gol, o Flamengo precisou mudar. Ousado, Rogério Ceni trocou Gabigol e o zagueiro Natan por Pedro e Diego, recuando Willian Arão para a zaga. A mudança fez o Fla melhorar no jogo. Com mais gente no ataque, o Rubro-Negro pressionou o Tricolor em seu campo de defesa e atacava pelo centro e pelos dois lados. Ainda assim, seguia errando na definição das jogadas. Sem acertar o último passe, a equipe pressionava, mas finalizava pouco. Quando conseguia, Marcos Felipe controlava, em jogo seguro.

Esperto, Flu vira no finzinho com Yago

O jogo ainda estava aberto quando o Fluminense contou com distração do Flamengo e virou o jogo aos 48 do segundo tempo. Em saída de jogo, Filipe Luís recuperou a bola e esticou demais em passe para trás para Willian Arão. Esperto, Yago Felipe arrancou, chegou na frente do camisa 5 do Rubro-Negro e tocou na saída de Hugo para virar o Fla-Flu e dar a primeira vitória ao Tricolor sobre o rival no Brasileirão desde 2016.

Flamengo força pelo lado esquerdo

Como tem ocorrido com frequência, o Flamengo privilegiou mais o lado esquerdo do que o direito. Grande parte das ações ofensivas do Fla se concentrou com Filipe Luís, Gerson e Bruno Henrique. O atacante, contudo, esbarrou no muro tricolor e não teve tanto campo para trabalhar em velocidade. Do lado contrário, Isla, mais conservador por natureza, subiu mais na boa e isso fez com que Everton Ribeiro não aparecesse tanto.

Homenagem a Diego

Antes de a bola rolar, o meia Diego foi homenageado com uma camisa comemorativa pelos seus 200 jogos pelo Flamengo. O camisa 10 chegou a esta marca no empate sem gols contra o Fortaleza. Pelo clube, o jogador soma três títulos cariocas, um Brasileiro, uma Libertadores, uma Recopa e uma Supercopa.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1 x 2 FLUMINENSE

Data: 6 de janeiro de 2020, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Competição: Campeonato Brasileiro (28ª rodada)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
VAR: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Cartões amarelos: Bruno Henrique (FLA); Calegari, Yago, Ganso e Felippe Cardoso (FLU)
Gols: Arrascaeta, aos 39 minutos do 1º tempo; Luccas Claro, aos 9 minutos do 2º tempo, e Yago, aos 48 minutos do 2º tempo.

FLAMENGO: Hugo; Isla, Rodrigo Caio, Natan (Diego) e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson (Pepê), Everton Ribeiro (Rodrigo Muniz) e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol (Pedro). Técnico: Rogério Ceni.

FLUMINENSE: Marcos Felipe, Calegari, Matheus Ferraz, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Yuri, Hudson (Martinelli), Yago e Michel Araújo (Caio Paulista); Wellington Silva (Lucca) e Fred (Felippe Cardoso). Técnico: Ailton.