PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo apresenta balanço anual com R$ 156 milhões negativos

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, durante treino do São Paulo no CT da Barra Funda - Marcello Zambrana/AGIF
Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, durante treino do São Paulo no CT da Barra Funda Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

12/03/2020 22h04

O São Paulo apresentou o seu balanço anual de 2019 para o Conselho de Administração. Segundo apurou o UOL Esporte a peça apresentou déficit de R$ 156 milhões. Os integrantes do órgão aprovaram com ressalvas - sendo que o vice-presidente Roberto Natel foi voto contrário. Agora, o balanço deve ser colocado para a apreciação do Conselho Fiscal e do Conselho Deliberativo do Tricolor paulista.

A expectativa era muito diferente para a última temporada. O clube pretendia fechar 2019 zerando os débitos com instituições financeiras e de curto prazo e com mudanças no sistema de gerenciamento para não depender mais da venda de jogadores para sobreviver.

No decorrer deste percurso, porém, os dirigentes do clube chegaram à conclusão de que era o momento de mudar os rumos e fazer um investimento maior no time para tentar dar um salto de qualidade e conquistar títulos. Por isso, jogadores mais caros e com salários mais altos foram contratados. Por outro lado, não vendeu tantos atletas como se esperava.

Para complicar ainda mais a situação em 2019, o São Paulo deixou a Copa Libertadores antes da fase de grupos e a Copa do Brasil logo em seu primeiro mata-mata. Tais quedas refletiram em uma baixa de aproximadamente R$ 25 milhões em relação ao projetado para a temporada.

As receitas de TV também tiveram desempenhos inferiores aos orçados por causa das quedas nos torneios. Eram projetados R$ 118 milhões e foram atingidos R$ 65 milhões, segundo relatório da diretoria. Por isso mesmo, o São Paulo precisou aprovar cerca de R$ 37 milhões em empréstimos bancários em 2019.

O São Paulo ainda precisou fazer acordos judiciais referentes ao caso Ricardinho, em que deve pagar R$ 30 milhões e mais R$ 25,7 milhões para a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Por isso, os integrantes do Conselho de Administração pretendem acompanhar de perto a atuação do departamento de futebol em 2020. O clube já acertou a venda de Antony para o Ajax e de 20% dos direitos de David Neres.

São Paulo