Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão


Após caso Ricardinho, São Paulo reconhece dívida de R$ 25 milhões com a CET

Dívida foi gerada por despesas pela atuação de agentes de trânsito nos arredores do Morumbi em dias de jogos - Fernando Donasci/Folha Imagem
Dívida foi gerada por despesas pela atuação de agentes de trânsito nos arredores do Morumbi em dias de jogos Imagem: Fernando Donasci/Folha Imagem
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo e Porto Alegre

12/11/2019 04h00

O São Paulo realizou um acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para pagar uma dívida de R$ 25,7 milhões. O valor será quitado ao longo dos próximos 15 anos - serão 180 parcelas mensais sucessivas, cada uma delas atualizada com juros na data de pagamento. A confissão de dívida encerra cinco ações judiciais que tratavam do assunto. A briga da CET com os clubes é antiga: em 2005, a Lei Municipal nº 14.072/2005 determinou que os clubes passariam a ser responsáveis por arcar com as despesas das ações da companhia para minimizar problemas no trânsito durante as partidas.

Em 2006, entretanto, o Sindicato das Associações de Futebol Profissional do Estado de São Paulo (SINDIBOL) ajuizou ação e suspendeu a cobrança. A Justiça, entretanto, acabou por considerar a lei válida, e a CET entrou com cobrança retroativa dos clubes. Na última semana, o São Paulo realizou um acordo de grande porte para pagar R$ 30 milhões à empresa RES Empreendimentos, referentes a dívida pela contratação do meia Ricardinho em 2002. Esse valor será desembolsado em 46 parcelas, com pagamentos até 2023. As dívidas do passado surgem num momento preocupante para um clube que já registrou déficit de R$ 77 milhões até agosto. (Por Pedro Lopes)

UOL de Primeira