PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


"São mundos diferentes", comentaristas defendem declarações de Jorge Jesus

Jorge Jesus orienta o Flamengo em semifinal da Taça Guanabara contra o Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF
Jorge Jesus orienta o Flamengo em semifinal da Taça Guanabara contra o Fluminense Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/02/2020 18h58

Enquanto alguns comentaristas - como Sormani, Denílson e Edmundo - criticaram as declarações de Jorge Jesus após a vitória do Flamengo sobre o Fluminense por 3 a 2 na semifinal da Taça Guanabara, outros, como Lédio Carmona, André Rizek e Benjamin Back encararam as palavras do técnico do Flamengo com naturalidade. O primeiro deles, inclusive, disse que o clube rubro-negro está em um mundo diferente em relação aos outros cariocas.

"Acho que a comparação (entre o Flamengo e os outros cariocas) nem deve ser feita. São mundos diferentes. quando esses mundos vão se encontrar, se no final do ano, daqui dois anos, cem anos, a gente não sabe. Fato é que hoje são mundos completamente diferentes, realidades diferentes. É chover no molhado. Não dá. Mesmo que o Flamengo perca para alguém", declarou durante o Seleção SporTV de hoje (13).

Lédio ainda defendeu o que ele chamou de "marra verdadeira" de Jorge Jesus. Na opinião do comentarista, ele entendeu o espírito do torcedor flamenguista e também provoca os adversários.

"É um marrento verdadeiro, competente. Está fazendo um trabalho sensacional, e ele é marrento mesmo, sempre foi. A gente tem vários marrentos aqui no futebol brasileiro. O Jorge Jesus tem esse jeito, e eu prefiro que seja assim. Ele está em outro patamar e entra na onda. Ele provoca. Ele aprendeu o espírito do Flamengo e da torcida e está navegando. Ele tem razão. Este é o último campeonato na prioridade do Flamengo e ele está próximo de ganhar. Ele está pegando uma carona no estadual para treinar o time", complementou.

André Rizek, apresentador do programa, concorda com a posição de Jorge Jesus em relação ao estadual e acredita que o Flamengo não encontrará rivais à altura em competições de pontos corridos na temporada.

"Eu acho que ele está tratando perfeitamente. Para o Flamengo, o estadual é uma pré-temporada, é legal ganhar, tira onda e ele está tratando o Estadual como todo mundo deveria tratar. Agora, o nome dele não é cantado como o do Bruno Henrique, o do Gabigol? Ele entendeu perfeitamente onde está. O clichê de que o Flamengo compete com ele mesmo é muito verdade. E não só no Rio, no Brasil inteiro. No mata-mata é perfeitamente possível que um bom time do Grêmio ou do Palmeiras consigam encarar, mas em pontos corridos, acho pouquíssimo provável", disse.

Quem também defendeu Jorge Jesus foi Benjamin Back. Durante o Fox Sports Rádio, o apresentador afirmou que não viu arrogância nas palavras do treinador português.

"Arrogância seria dizer que ele é isto ou aquilo. Ele não falou nada. Só que o Flamengo está em outro patamar, que almeja outras coisas. E é verdade", opinou.

As declarações de Jorge Jesus

Ontem, durante a entrevista coletiva pós-jogo, Jorge Jesus voltou a dizer que encara o Campeonato Carioca como pré-temporada.

"O fato dos jogos serem oficiais não me permitem fazer cinco, seis substituições, como seria em uma pré-temporada normal. Se são os primeiros jogos do ano, é pré-temporada. Nosso adversário queria vencer o título, mas estamos em outro patamar, buscamos outros títulos", completou.

O treinador português ainda criticou a arbitragem, responsabilizando-a por colocar o Fluminense no jogo - o time tricolor chegou a estar perdendo por 3 a 0 na segunda etapa, antes de marcar seus dois gols.

"Quem controla o impedimento? É o árbitro. Eles fizeram os gols e nitidamente o árbitro quis que o Fluminense entrasse no jogo. A partir daí, acreditaram que poderiam buscar o 3 x 3, ganharam emocionalmente e terminarem o jogo atuando no limite do risco. Não há nenhuma equipe do mundo que jogue os 90 minutos em cima do adversário. Se fosse, não seria 3 x 0, seria 6 x 0", declarou.

UOL Esporte vê TV