PUBLICIDADE
Topo

Sampaoli diz ter reunião para ouvir projeto do Santos, mas freia empolgação

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

08/12/2019 19h11

O técnico Jorge Sampaoli, do Santos, diz ainda não ter definido qual equipe treinará em 2020, mas sinalizou que tomará a melhor decisão do ponto de vista profissional — e não emocional. O treinador concedeu entrevista coletiva na noite de hoje (8), na Vila Belmiro, após goleada do Peixe por 4 a 0 sobre o campeão Flamengo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

"O que posso falar é que estou muito agradecido pelo carinho. Fui abraçado. E o grupo hoje mostrou um espetáculo contra o campeão. Foi uma partida incrível. Agora sim pensarei no futuro. Até ontem não pude pensar em nada. Amanhã tenho uma reunião com o presidente", declarou o argentino.

A reunião citada por Sampaoli será um encontro provavelmente decisivo entre o treinador e o presidente José Carlos Peres. O argentino tem contrato com o Santos até o fim do ano que vem, mas foi sondado nos últimos dias pelo rival Palmeiras.

"Treinadores são objetos no futebol. Preciso saber bem para onde vou, saber bem o panorama para ficar no Santos. Não atendi a ninguém, nenhuma oferta concreta chegou. Vou avaliar meu futuro, mas minha prioridade é me reunir com o Peres e ver o que é melhor para o Santos", afirmou.

Foi um processo de muitas alegrias. Tenho muito carinho por esse clube, foi um dos lugares em que fui mais feliz na minha carreira"

disse Jorge Sampaoli sobre temporada à frente do Santos.

O intuito da reunião entre Sampaoli e Peres é a alta cúpula santista apresentar ao treinador o projeto do clube para 2020 no que diz respeito à equipe profissional de futebol. A expectativa é de que reforços para a próxima temporada cheguem ao Peixe, vice-líder do Brasileirão e classificado à fase de grupos da Libertadores do ano que vem.

"Não vou mentir. Falei com o presidente no sábado depois de muito tempo. Quiseram apresentar projeto e deixamos para amanhã (segunda-feira, dia 9). Ideia é saber se posso ser agente potencializador para ter campanha ainda melhor em 2020. Amanhã o Santos determinará primeiro minha liberação ou não no projeto. E depois de amanhã veremos meu futuro. Não analisei nenhuma possibilidade", esclareceu, antes de frear empolgação ao dizer que não tomará decisões emocionadas.

"Tenho que ser profissional. Não permitiria tomar desafio pelo emocional porque derrota doeria muito. Para ficar tenho que ver um time capaz de disputar tudo. Preciso ver se tenho condição com a minha profissão. Clube me deixará claro amanhã. E eu sei o que necessito", acrescentou, sugerindo que sua permanência ou não no Santos passa pelo tal projeto a ser apresentado a ele pelo clube.

Cabe ainda citar que, visivelmente emocionado ao longo de quase toda a entrevista, Sampaoli foi interrompido em determinado momento por "invasões" do atacante Marinho e depois do lateral Jorge, que o agradeceram e lhe desejaram boas festas.

Santos