PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mercado da Bola movimenta R$ 5,8 bilhões; conheça os 10 clubes mais gastões

Darwin Nuñez, ex-Benfica, agora é jogador do Liverpool - Divulgação/SL Benfica
Darwin Nuñez, ex-Benfica, agora é jogador do Liverpool Imagem: Divulgação/SL Benfica
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

14/06/2022 04h20

Os finalistas da última edição da Liga dos Campeões decidiram investir pesado no Mercado da Bola para continuar ocupando os postos de melhores times de futebol da Europa na atualidade.

O Real Madrid, atual detentor da Orelhuda, e o Liverpool, que foi derrotado pelos espanhóis na decisão, há pouco mais de duas semanas, são os dois clubes que mais gastaram neste início de janela de transferências.

Juntos, eles foram responsáveis por quase 15% de todo o volume global de dinheiro movimentado com compras e empréstimos de jogadores na preparação para a temporada 2022/23. Até o momento, esse montante está na casa de 1,1 bilhão de euros (R$ 5,8 bilhões).

O Liverpool investiu um pouquinho mais em reforços: 80,9 milhões de euros (R$ 427,2 milhões). Foram gastos 75 milhões de euros (R$ 396 milhões) na contratação do centroavante uruguaio Darwin Núñez (ex-Benfica) e mais 5,9 milhões de euros (R$ 31,2 milhões) para ter o português Fábio Carvalho (ex-Fulham).

Mas o Real não fica muito atrás. Apenas com o volante francês Aurélien Tchouaméni (ex-Monaco), o jogador mais caro desta janela de transferências, gastou 80 milhões de euros (R$ 422,4 milhões).

O top 10 dos clubes mais gastões de 2022/23 é dominado pelos ingleses. Além do Liverpool, também aparecem no ranking Manchester City (3º), Aston Villa (5º) e Leeds United (6º). A lista tem ainda o Real, um alemão (Borussia Dortmund), dois franceses (Olympique de Marselha e Paris Saint-Germain) e dois italianos (Juventus e Napoli).

No ano passado, ainda impactado pelos efeitos econômicos da pandemia da covid-19, o Mercado da Bola de junho/julho/agosto movimentou "apenas" 4 bilhões de euros (R$ 20,9 bilhões) e teve seu resultado mais modesto desde 2014/15.

A Inglaterra é o único país da elite europeia que já abriu a janela de transferências. Na Premier League, a inscrição de reforços para a temporada 2022/23 começou a ser feita na última sexta-feira, 10 de junho. Alemanha, Espanha, França e Itália optaram por manter a data tradicional e liberarão os negócios em 1º de julho.

Apesar da discordância quanto ao início, os cinco campeonatos nacionais mais importantes do Velho Continente manterão o mercado aberto até o mesmo dia: 1º de setembro. Depois, os clubes só poderão registrar atletas que já estavam sem contrato, ou seja, que não tinham vínculo com nenhuma equipe.

No Brasil, onde a janela é exclusiva para a chegada de jogadores que estavam no exterior (transferências internacionais), o próximo período apto para transações vai de 18 de julho a 15 de agosto.

Os 10 clubes mais gastões da janela

1 - Liverpool (ING): 80,9 milhões de euros
2 - Real Madrid (ESP): 80 milhões de euros
3 - Manchester City (ING): 60 milhões de euros
4 - Borussia Dortmund (ALE): 55 milhões de euros
5 - Aston Villa (ING): 54,5 milhões de euros
6 - Leeds United (ING): 45,8 milhões de euros
7 - Olympique de Marselha (FRA): 43,4 milhões de euros
8 - Juventus (ITA): 40 milhões de euros
9 - Paris Saint-Germain (FRA): 38 milhões de euros
10 - Napoli (ITA): 36 milhões de euros

Os 10 reforços mais caros

1 - Aurélien Tchouaméni (FRA, Real Madrid): 80 milhões de euros
2 - Darwin Núñez (URU, Liverpool): 75 milhões de euros
3 - Erling Haaland (NOR, Manchester City): 60 milhões de euros
4 - Federico Chiesa (ITA, Juventus): 40 milhões de euros
5 - Nuno Mendes (POR, Paris Saint-Germain): 38 milhões de euros
6 - Brenden Aaronson (EUA, Leeds United): 32,8 milhões de euros
7 - Diego Carlos (BRA, Aston Villa): 31 milhões de euros
8 - Karim Adeyemi (ALE, Borussia Dortmund): 30 milhões de euros
9 - Joaquín Correa (ARG, Inter de Milão): 23,6 milhões de euros
10 - Jérémie Boga (BEL, Atalanta): 22 milhões de euros
TOTAL: 1,1 bilhão de euros

Os 10 brasileiros mais caros

1 - Diego Carlos (Aston Villa-ING): 31 milhões de euros
2 - Philippe Coutinho (Aston Villa-ING): 20 milhões de euros
3 - Willian José (Betis-ESP): 10 milhões de euros
4 - Matheus Henrique (Sassuolo-ITA): 8 milhões de euros
5 - Samuel Lino (Atlético de Madri-ESP): 6,5 milhões de euros
6 - Fernando (Red Bull Salzburg-AUT): 6 milhões de euros
7 - Luiz Henrique (Betis-ESP): 5 milhões de euros
8 - João Klauss (St. Louis City-EUA): 3,2 milhões de euros
9 - Mikael (Salernitana-ITA): 2,7 milhões de euros
10 - Tiago Volpi (Toluca-MEX): 2,5 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt