PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

'Plano Itália' dá errado, e Arthur Cabral sofre com falta de gols na Europa

Arthur Cabral se mudou para a Itália para tentar jogar a Copa do Mundo - Reprodução
Arthur Cabral se mudou para a Itália para tentar jogar a Copa do Mundo Imagem: Reprodução
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

11/05/2022 04h00

Jogador brasileiro que mais balançou as redes no futebol europeu na temporada passada e autor de 27 gols só nos primeiros cinco meses de 2021/22, Arthur Cabral trocou em janeiro o Basel pela Fiorentina para melhorar suas chances de ir à Copa do Mundo do Qatar-2022.

O ex-centroavante do Palmeiras apostava que a visibilidade do Campeonato Italiano, bem mais reconhecido internacionalmente do que a liga da Suíça, poderia aumentar suas possibilidades de virar uma figurinha carimbada nas convocações de Tite.

Mas, quatro meses depois da transferência, o tiro parece ter saído pela culatra. Arthur Cabral não apenas não conseguiu se firmar como opção para a equipe canarinho como também saiu do radar do treinador da seleção.

É que os gols, tão abundantes ao longo das duas temporadas e meia em que vestiu a camisa do Basel, rarearam depois da sua saída para a Itália.

Arthur Cabral disputou até o momento 14 partidas pela Fiorentina e foi às redes apenas duas vezes. A média de 0,14 gol por jogo não faz seque cócegas no 0,61 que acumulou ao longo da passagem pela Suíça.

Contratado com a missão de substituir o sérvio Dusan Vlahovic, então artilheiro do Calcio e negociado a peso de ouro com a Juventus no começo do ano, o brasileiro ainda não conseguiu sequer descolar uma vaga cativa como titular da equipe de Florença.

O camisa 9 tem se revezado com o polonês Krzysztof Piatek, que também chegou em janeiro e já marcou seis vezes pelo clube. Nas duas últimas partidas, o ex-Palmeiras começou jogando. No compromisso anterior, foi a vez do compatriota de Robert Lewandowski ser escalado.

Apesar da ambição de jogar a Copa-2022, Arthur Cabral só foi convocado uma vez por Tite. Em outubro do ano passado, ele foi chamado para os compromissos da rodada tripla das eliminatórias contra Venezuela, Colômbia e Uruguai, mas não chegou a ser aproveitado.

No momento, as vagas de centroavante da seleção para o Mundial parecem estar sendo disputadas por Richarlison (Everton), Gabriel Jesus (Manchester City) e Matheus Cunha (Atlético de Madri). Roberto Firmino (Liverpool) e Gabriel Barbosa (Flamengo) correm por fora.

A Fiorentina tem mais dois jogos (contra Sampdoria, na segunda-feira, e Juventus, no domingo seguinte) para tentar conseguir vaga para alguma competição europeia da próxima temporada.

Por enquanto, o time de Arthur Cabral ocupa a sétima colocação do Italiano, com 59 pontos, o suficiente para lhe colocar na Conference League. Só que a Roma (sexta, hoje classificada para a Liga Europa) e a Atalanta (oitava, que está ficando sem nada nas mãos) também têm a mesma pontuação.

Ao contrário de Espanha, Alemanha e França, que conheceram seus campeões com algumas rodadas de antecipação, a disputa pelo título do Calcio ainda está aberta. O Milan, em busca do fim de um jejum de 11 anos, lidera a competição e tem dois pontos de vantagem para a Inter de Milão, atual campeã.Napoli e Juventus são os outros times que irão para a Liga dos Campeões.