PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Eurocopa vê 22% mais gols que a Copa América, que tem mais faltas e cartões

Harry Kane comemora gol da Inglaterra contra a Alemanha, pela Eurocopa - Catherine Ivill/Getty Images
Harry Kane comemora gol da Inglaterra contra a Alemanha, pela Eurocopa Imagem: Catherine Ivill/Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

01/07/2021 04h00

O torcedor que deseja acompanhar chuvas de gols, partidas sendo disputadas até o minuto final e reviravoltas daquelas que transformam um jogo de futebol em roteiro digno de filme dramático deve estar apaixonado pela Eurocopa.

Já quem curte jogos mais truncados, com menos gols, frequentemente paralisados pela arbitragem para alguma cobrança de falta e com cartões amarelos sendo distribuídos com fartura, provavelmente tem preferido acompanhar a Copa América.

As estatísticas mostram que existe uma grande diferença entre os tipos de futebol praticados nas duas principais competições continentais do planeta, que neste ano estão sendo disputadas simultaneamente.

Impulsionada por alguns jogos históricos, como a vitória por 5 a 3 da Espanha sobre a Croácia e o empate por 3 a 3 entre Suíça e França, a atual edição da Eurocopa tem registrado sua maior média de gols desde 1976: 2,80 por partida.

A marca é aproximadamente 22% maior que a da Copa América, que tem até o momento 2,30 tentos a cada 90 minutos de futebol. A frequência de bolas nas redes do Sul-Americano de 2021 é pior do que a da duas últimas edições do torneio.

Além de menos gols, a competição disputada por Brasil, Argentina e Uruguai sofre com mais atos de indisciplina que a Eurocopa.

A média de faltas na Copa América é 14,8% maior que no seu concorrente do Velho Continente: 26,05, contra 22,7. Já a de cartões amarelos é 22,8% superior desse lado do Oceano Atlântico: 3,60, contra 2,93.

Esses números de indisciplina devem piorar nos próximos dias, já que só agora o torneio sul-americano vai entrar na fase final. Tradicionalmente, esse é o momento em que os jogos costumam ficar mais pegados, com maior número de infrações e interferências da arbitragem, como advertências e expulsões.

Originalmente, a Copa América e a Eurocopa seriam disputadas no ano passado. No entanto, devido à pandemia da covid-19, as duas competições acabaram sendo adiadas em 12 meses. A diferença é que o torneio do Velho Continente manteve seu plano original de ser realizado em múltiplos países.

Já o campeonato da Conmebol precisou abandonar a ideia de ser organizado em conjunto por Argentina e Colômbia, que decidiram abdicar da organização por conta de problemas sanitários e protestos populares. Com isso, o Brasil, que já havia recebido a edição, acabou se oferecendo para ser sede mais uma vez.

Os dois torneios continentais iniciam amanhã a disputa das quartas de final. Suas decisões estão marcadas para o mesmo fim de semana.

O sucessor de Portugal (já eliminado neste ano) no posto de campeão europeu será conhecido no dia 11 de julho. O estádio de Wembley, em Londres (Inglaterra), receberá a final.

Já a partida que definirá a melhor seleção da América do Sul em 2021 será disputada um dia antes, no Maracanã. Ao contrário do que aconteceu na Europa, o atual campeão, Brasil, continua vivo na disputa e é um dos favoritos ao título.

Copa América - quartas de final

Peru x Paraguai, amanhã, 18h, Olímpico de Goiânia (GO)
Brasil x Chile, amanhã, 21h, Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Uruguai x Colômbia, sábado, 19h, Mané Garrincha, Brasília (DF)
Argentina x Equador, sábado, 22h, Olímpico de Goiânia (GO)

Eurocopa - quartas de final

Suíça x Espanha, amanhã, 13h, estádio Krestovsky, São Petersburgo (RUS)
Bélgica x Itália, amanhã, 16h, Allianz Arena, Munique (ALE)
República Tcheca x Dinamarca, sábado, 13h, Olímpico de Baku (AZE)
Inglaterra x Ucrânia, sábado, 16h, Olímpico de Roma (ITA)