PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

19 brasileiros já são campeões nacionais na Europa nesta temporada; conheça

Douglas Costa com a taça do Mundial de Clubes; ele também é campeão alemão pelo Bayern - Reprodução
Douglas Costa com a taça do Mundial de Clubes; ele também é campeão alemão pelo Bayern Imagem: Reprodução
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

10/05/2021 04h00

A temporada 2020/21 do futebol europeu ainda não chegou ao fim. Mas, mesmo com algumas semanas ainda pela frente no calendário da bola, nada menos que 19 jogadores brasileiros já tiveram a oportunidade de comemorar títulos da primeira divisão de campeonatos nacionais do Velho Continente neste ano.

A relação inclui apenas atletas que já defendem ou que ainda estão aptos a jogar pela seleção brasileira. Por isso, outros dois nomes que mudaram de "cidadania futebolística" para atuar por outros países não fazem parte da lista.

Os clubes que mais consagraram representantes do futebol pentacampeão mundial, pelo menos até o momento, foram o Zenit São Petersburgo, campeão russo, e o Ludogorets, mais uma vez vencedor na Bulgária.

Cada um deles conta com três brasileiros no elenco. O Zenit possui o lateral esquerdo Douglas Santos, o meia Wendel e o atacante Malcom. Já a equipe búlgara tem à disposição o goleiro Renan, o volante Alex Santana e o meia-atacante Cauly —além de Cicinho e Wanderson, que nasceram no Brasil, mas optaram por outra nacionalidade.

Das cinco ligas que formam o primeiro escalão da Europa, a única que já entregou o troféu para um atleta tupiniquim nesta temporada foi a Bundesliga alemã. Ainda que tenha atuado em apenas 11 rodadas, o meia-atacante Douglas Costa foi parte da nona conquista nacional consecutiva do Bayern de Munique.

A Itália também já definiu sua campeã. Só que a Inter de Milão, que encerrou uma hegemonia de nove títulos consecutivos da Juventus, não conta atualmente com nenhum brasileiro no seu grupo de jogadores.

Outro país relevante no cenário europeu que já tem um time no alto do pódio, mas esse sim com brasileiros, é a Holanda. O Ajax, que conquistou o título antecipadamente, tem duas crias das categorias de base do São Paulo: os atacantes David Neres e Antony.

A lista de compatriotas de Romário, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho campeões nacionais em 2020/21 ainda deve aumentar bastante até 29 de maio, data da decisão da Liga dos Campeões da Europa, entre Chelsea e Manchester City, que marca o ponto final da temporada do futebol dos clubes.

Na Inglaterra, por exemplo, o City, do goleiro Ederson, do volante Fernandinho e do atacante Gabriel Jesus, quase foi campeão no último fim de semana. Mas a derrota para o Chelsea, no sábado, adiou um título que já está praticamente certo.

A Espanha ainda tem briga. Com mais três rodadas pela frente, quatro clubes têm chances matemáticas de levar o troféu para casa.

Mas todos eles contam com pelo menos um jogador brasileiro: Atlético de Madri (Felipe e Renan Lodi), Real Madrid (Éder Militão, Marcelo, Casemiro, Rodrygo e Vinícius Júnior), Barcelona (Neto, Matheus Fernandes e Philippe Coutinho) e Sevilla (Diego Carlos e Fernando Reges).

A França é outro país em que o campeonato ainda está aberto, mas onde há certeza de que haverá atletas da nação pentacampeã mundial felizes com o resultado final. Se der Lille, melhor para o meia-atacante Luiz Araújo. Mas o PSG "cumprir seu dever" e terminar a temporada no topo da tabela, Marquinhos, Rafinha e Neymar poderão respirar aliviados.

Jogadores brasileiros campeões na Europa

ALEMANHA: Douglas Costa (Bayern de Munique)
RÚSSIA: Douglas Santos, Wendel e Malcom (Zenit São Petersburgo)
UCRÂNIA: Sidcley e Clayton (Dínamo de Kiev)
HOLANDA: Antony e David Neres (Ajax)
CHIPRE: Fabiano e Thiago Santos (Omonia)
BULGÁRIA: Renan, Alex Santana e Cauly (Ludogorets)
POLÔNIA: Luquinhas (Legia Varsóvia)
HUNGRIA: Somália e Isael (Ferencváros)
MACEDÔNIA: Igor (Shkendija)
MALTA: Arthur Henrique e Emerson (Hamrun Spartans)