PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Quem é o brasileiro mais caro da história de cada grande clube da Europa?

Robinho ainda é o brasileiro mais caro da história do Manchester City, finalista da Champions - Michael Regan/Getty Images
Robinho ainda é o brasileiro mais caro da história do Manchester City, finalista da Champions Imagem: Michael Regan/Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

07/05/2021 04h20

O Brasil é o país mais vitorioso da história do futebol. Mas, nos últimos tempos, não é a nação pentacampeã mundial quem tem produzido os jogadores mais desejados do Mercado da Bola internacional.

Somente dois times que fazem parte do primeiro escalão da Europa na atualidade têm atletas brasileiros como seus reforços mais caros de todos os tempos: o Paris Saint-Germain, que gastou 222 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão) para contratar Neymar, e o Barcelona, cujo investimento em Philippe Coutinho chegou a 160 milhões de euros (R$ cerca de R$ 1 bilhão).

Pelo segundo ano consecutivo, o "Blog do Rafael Reis" vasculhou os históricos de transferências dos times mais poderosos do Velho Continente para mostrar quem são os jogadores tupiniquins mais caros que eles já contrataram.

O levantamento mais recente traz os recordes de seis clubes que não estavam inseridos no estudo realizado em 2020/21: Atalanta, Leicester, RB Leipzig, Sevilla, Ajax e Sporting.

Devido à crise econômica provocada pela pandemia da covid-19, apenas dois times quebraram seus recordes particulares e contrataram o brasileiro mais caro de sua história ao longo dos últimos 12 meses: Juventus, que pagou 72 milhões de euros (R$ 458 milhões) pelo meia Arthur, e Benfica, que torrou 20 milhões de euros (R$ 127,3 milhões) para ter Éverton Cebolinha.

Agora, apresentamos abaixo um relatório completo com os maiores investimentos já realizados pelos times mais importantes para Europa para reforçar seus elencos com atletas do país do futebol.

O brasileiro mais caro da história de cada clube

PARIS SAINT-GERMAIN: Neymar (2017), 222 milhões de euros
BARCELONA: Philippe Coutinho (2018), 160 milhões de euros
JUVENTUS: Arthur (2020), 72 milhões de euros
REAL MADRID: Kaká (2009), 67 milhões de euros
LIVERPOOL: Alisson (2018), 62,5 milhões de euros
MANCHESTER UNITED: Fred (2018), 59 milhões de euros
MANCHESTER CITY: Robinho (2008), 43 milhões de euros
CHELSEA: Willian (2013), 35,5 milhões de euros
MILAN: Lucas Paquetá (2019), 35 milhões de euros
BAYERN DE MUNIQUE: Douglas Costa (2015), 30 milhões de euros
INTER DE MILÃO: Gabigol (2016), 29,5 milhões de euros
TOTTENHAM: Lucas Moura (2018), 28,4 milhões de euros
ARSENAL: Gabriel Magalhães (2020), 26 milhões de euros
BORUSSIA DORTMUND: Amoroso (2001), 25,5 milhões de euros
AJAX: David Neres (2017), 22 milhões de euros
ATLÉTICO DE MADRI: Felipe e Renan Lodi (2019), 20 milhões de euros
BENFICA: Éverton Cebolinha (2020), 20 milhões de euros
ROMA: Gerson (2016), 18,6 milhões de euros
RB LEIPZIG: Matheus Cunha (2018), 15 milhões de euros
SEVILLA: Diego Carlos (2019), 15 milhões de euros
PORTO: Danilo (2011), 13 milhões de euros
NAPOLI: Allan (2015), 11,5 milhões de euros
SPORTING: Elias (2011), 8,9 milhões de euros
ATALANTA: Roger Ibañez (2019), 4,2 milhões de euros
LEICESTER: nunca contratou um brasileiro