PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Campeonato Italiano movimenta R$ 3,7 bi em reforços; veja os 10 mais caros

Arthur, agora na Juventus, é o reforço mais caro do futebol italiano nesta temporada - Reprodução/Juventus
Arthur, agora na Juventus, é o reforço mais caro do futebol italiano nesta temporada Imagem: Reprodução/Juventus
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

19/09/2020 04h20

Com a crise econômica que atingiu o futebol mundial devido à pandemia do novo coronavírus, os clubes da Itália deixaram um pouco de lado a busca de reforços no exterior e decidiram priorizar o "produto local" nesta janela de transferências.

Por isso, a temporada 2020/21 do Calcio começa hoje com poucas caras novas que ainda não faziam parte do cotidiano do futebol da Bota.

Dos dez negócios mais caros fechados para esta edição do Campeonato Italiano, nada menos que seis envolveram jogadores que já atuavam no país. E cinco deles, inclusive, são atletas aptos a defender a Azzurra.

As exceções podem ser contadas nos dedos das mãos: o meia brasileiro Arthur, que trocou o Barcelona pela Juventus, o atacante nigeriano Victor Osimhen, ex-Lille e agora jogador do Napoli, o ala direito Achraf Hakimi, destaque do Borussia Dortmund nas últimas temporadas que foi pinçado pela Inter de Milão.

Os três, aliás, protagonizaram as únicas transferências feitas na Itália nesta janela que romperam a casa dos 30 milhões de euros (R$ 186 milhões). No ano passado, foram seis negócios nesse patamar.

O valor gasto em reforços pelos 20 clubes da primeira divisão caiu pela metade na comparação com a temporada anterior. Até agora, o investimento total em caras novas é de 606,1 milhões de euros (R$ 3,7 bilhões). Em 2019/20, ele chegou à marca de 1,2 bilhão de euros (R$ 7,4 bilhões).

Alguns clubes importantes no cenário nacional praticamente nem investiram na chegada de atletas. Milan e Lazio, por exemplo, gastaram modestos 17 milhões de euros (R$ 105 milhões) cada em reforços.

Devido ao atraso no calendário por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19), a janela de transferências na Inglaterra foi prorrogada até o próximo mês. Os clubes do país poderão contratar até o dia 5 de outubro, quando já terão sido disputadas as três primeiras rodadas da competição.

A rodada de abertura da nova temporada da Série A contará com a realização de apenas sete jogos.

As partidas entre Benevento e Inter de Milão, Lazio e Atalanta e Udinese e Spezia foram adiadas para a última semana de setembro para que os times envolvidos nas fases finais de competições europeias e nos playoffs de acesso à primeira divisão do Calcio, que se arrastaram durante agosto, tivessem períodos de descanso e pré-temporada antes de voltarem à ação.

Neste ano, os direitos de transmissão da competição pertencem à Band, que exibirá em TV aberta um jogo por rodada, dentro do reformulado "Show do Esporte", e outras partidas no Bandsports, seu canal por assinatura. A Sportv também poderá exibir uma partida por semana.

A Juve venceu as últimas nove temporadas do Italiano e busca um inédito decacampeonato nacional. Em 2019/20, a briga pelo scudetto foi ferrenha, e Cristiano Ronaldo e cia. terminaram apenas um ponto à frente da Inter de Milão (83 a 82).

OS 10 REFORÇOS MAIS CAROS DA TEMPORADA NA ITÁLIA

1 - Arthur (M, BRA, Juventus) - 72 milhões de euros
2 - Victor Osimhen (A, NIG, Napoli) - 70 milhões de euros
3 - Achraf Hakimi (LD, MAR, Inter de Milão) - 40 milhões de euros
4 - Nicolò Barella (M, ITA, Inter de Milão) - 25 milhões de euros
5 - Simone Verdi (MA, ITA, Torino) - 20 milhões de euros
Stefano Sensi (M, ITA, Inter de Milão) - 20 milhões de euros
7 - Andrea Pinamonti (A, ITA, Genoa) - 19,5 milhões de euros
8 - Roberto Inglese (A, ITA, Parma) - 18 milhões de euros
9 - Vedat Muriqi (A, KOS, Lazio) - 17,5 milhões de euros
10 - Jordan Veretout (M, FRA, Roma) - 16 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt