PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Campeonato Alemão movimenta R$ 1,6 bi em reforços; conheça os 10 mais caros

Leroy Sané é o grande reforço do Bayern para a nova temporada - Divulgação
Leroy Sané é o grande reforço do Bayern para a nova temporada Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

18/09/2020 04h20

Vinte e seis dias depois de derrotar o Paris Saint-Germain e conquistar pela sexta vitória o título da Liga dos Campeões da Europa, o Bayern de Munique dará na tarde de hoje o pontapé inicial da temporada 2020/21 do Campeonato Alemão.

A partida contra o Schalke 04, na Allianz Arena, a partir das 15h30 (de Brasília), mostrará um time que até se reforçou para continuar no topo do futebol continental (e, consequentemente, mundial), mas sem gastar muito.

O meia-atacante Leroy Sané, ex-Manchester City e antigo sonho bávaro, é a única cara nova que obrigou o clube a abrir os cofres. E, mesmo assim, custou uma pechincha: só 45 milhões de euros (R$ 280,4 milhões), já que estava no último ano de contrato e poderia sair de graça em 2021.

O goleiro Alexander Nübel (ex-Schalke 04) e o zagueiro francês Tanguy Nianzou (ex-PSG), que também desembarcaram em Munique para esta temporada, aproveitaram-se dessa cláusula e não custaram nada.

E o Bayern não é exceção. Afetada pela crise econômica decorrente da pandemia do coronavírus (Covid-19), a Alemanha inteira deu uma segurada nas compras nesta janela de transferências.

Até o momento, os 18 clubes da primeira divisão do país gastaram apenas 256,1 milhões de euros (R$ 1,6 bilhão) em reforços nesta temporada. A quantia chega a parecer quando comparada ao tamanho do investimento feito 12 meses atrás: 745 milhões de euros (R$ 4,6 bilhões).

Mesmo só tendo gasto com Sané, o Bayern foi o segundo time que colocou dinheiro nesta edição do Mercado da Bola. Apenas o Borussia Dortmund foi mais agressivo nas compras: 51,5 milhões de euros (R$ 321,4 milhões).

Devido ao atraso no calendário por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19), a janela de transferências na Alemanha foi prorrogada até o próximo mês. Os clubes do país poderão contratar até o dia 5 de outubro, quando já terão sido disputadas as três primeiras rodadas da competição.

Ao contrário do que aconteceu com os outros campeonatos nacionais de primeiro escalão já iniciados na Europa (Francês, Inglês e Espanhol), a rodada de abertura da nova temporada germânica será completa. Nenhum dos nove jogos previstos foi adiado devido ao calendário. Até o atual campeão europeu irá a campo normalmente.

Ao contrário dos últimos anos, quando era transmitido pelas emissoras do Grupo Disney (Fox Sports e ESPN), o Alemão terá novas casas aqui no Brasil em 2020/21. A Band vai exibir um jogo por rodada em TV aberta. Já o aplicativo OneFootball vai ocupar o espaço que antes era dos canais fechados.

Além de ter vencido a última Champions, o Bayern é o time que manda na Bundesliga. Já são oito títulos nacionais consecutivos. O último foi obtido com 13 pontos de vantagem para o Borussia Dortmund, que foi vice.

OS 10 REFORÇOS MAIS CAROS DA TEMPORADA NA ALEMANHA

1 - Leroy Sané (MA, ALE, Bayern de Munique) - 45 milhões de euros
2 - Jude Bellingham (M, ING, Borussia Dortmund) - 26,5 milhões de euros
Patrik Schick (A, TCH, Bayer Leverkusen) - 26,5 milhões de euros
4 - Emre Can (M, ALE, Borussia Dortmund) - 25 milhões de euros
5 - Jhon Córdoba (A, COL, Hertha Berlim) - 15 milhões de euros
Hee-chan Hwang (A, CDS, RB Leipzig) - 15 milhões de euros
7 - André Silva (A, POR, Eintracht Frankfurt) - 9 milhões de euros
8 - Alexander Schwolow (G, ALE, Eintracht Frankfurt) - 8 milhões de euros
9 - Felix Uduokhai (Z, ALE, Augbsurg) - 7 milhões de euros
Leonardo Bittencourt (MA, ALE, Werder Bremen) - 7 milhões de euros
Ondrej Duda (MA, SVK, Colônia) - 7 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt