PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Com novatos e astros jovens, França já desponta como favorita para Copa-22

Aos 17 anos, Eduardo Camavinga participa de treino da seleção francesa - Franck Fife/AFP
Aos 17 anos, Eduardo Camavinga participa de treino da seleção francesa Imagem: Franck Fife/AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

04/09/2020 04h00

Eduardo Camavinga tem só 17 anos e já foi eleito o melhor jogador do primeiro turno do Campeonato Francês na temporada passada. Dayot Upamecano, 21, e Houssem Aouar, 22, também são bem jovens ainda, mas já são protagonistas de times que foram até as semifinais da última Liga dos Campeões da Europa.

Os garotos de Rennes, RB Leipzig e Lyon, respectivamente, são uma pequena mostra da razão pela qual a França deve chegar à Copa do Mundo de 2022 como o time a ser batido e como favoritaça para conquistar seu segundo título mundial consecutivo.

Os três garotos que brilharam no cenário internacional em 2019/2020 e agora estão entre os nomes mais desejados desta janela de transferências foram convocados pela primeira vez para a seleção principal nesta Data Fifa.

Mas, enquanto Camavinga e Upamecano poderão ter a oportunidades de estrear contra Suécia (amanhã) ou Croácia (terça-feira), nas rodadas inaugurais da Liga das Nações, Aouar vai ter de esperar um pouco mais para ir a campo, já que contraiu coronavírus e acabou cortado.

O desenvolvimento do trio de jovens estrelas mostra bem como a já forte e ainda jovem base francesa que venceu o Mundial da Rússia tem totais condições de chegar ainda mais poderosa ao Qatar.

Nos últimos dois anos, o técnico Didier Deschamps ganhou novas e interessantes opções para todos os setores do campo.

No gol, surgiu Mike Maignan, titular do Lille e cobiçado pelo Chelsea. A defesa viu os aparecimentos de Upamecano, Dan-Axel Zagadou (Borussia Dortmund), Ferland Mendy (lateral esquerdo do Real Madrid) e a consolidação de Clément Lenglet, do Barcelona.

Camavinga é a principal cara nova do meio-campo, que conta também com outras valiosas promessas, como Maxence Caqueret e Rayan Cherki (Lyon), além de Boubacar Kamara, do Olympique de Marselha.

O ataque tem menos fartura de novidades, mas elas ainda existem. Aouar, que também faz papel de meio-campista, é o grande nome. Há ainda Jonathan Ikoné, do Lille, e Moussa Dembélé, do Lyon.

Importante lembrar também que Kylian Mbappé, Paul Pogba e Raphaël Varane, três pilares da seleção campeã mundial na Rússia, ainda não terão nem 30 anos no Qatar-2022. Ou seja, talento não é algo que vai faltar no time dirigido por Didier Deschamps.

Esta é a segunda edição da Liga das Nações da Europa, torneio criado pela Uefa para ocupar datas que antes eram reservadas para amistosos. A edição de estreia, disputada entre 2018 e 2019, foi vencida por Portugal.

Desta vez, o quadrangular final será jogado em setembro ou outubro do próximo ano. O país-sede do Final Four ainda não foi decidido, já que dependerá das seleções que estiverem na briga pelo título.

Possível escalação da França para 2022

Hugo Lloris; Benjamin Pavard, Raphaël Varane, Dayot Upamecano (Clément Lenglet) e Ferland Mendy (Lucas Hernández); N'Golo Kanté, Eduardo Camavinga e Paul Pogba; Kylian Mbappé, Antoine Griezmann e Houssem Aouar