PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Conheça a venda mais cara para o exterior de cada grande clube brasileiro

Vinícius Júnior é a venda mais cara da história do Flamengo - Alexandre Loureiro/Getty Images
Vinícius Júnior é a venda mais cara da história do Flamengo Imagem: Alexandre Loureiro/Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

24/05/2020 04h00

Na hora de vender jogadores para o futebol internacional, os times paulistas costumam dar de dez a zero nos cariocas.

Com exceção do Flamengo, que faz jogo duro no Mercado da Bola e negocia no mesmo nível das maiores equipes de São Paulo, os clubes do Rio de Janeiro não costumam lucrar muito com as transações dos seus atletas.

É isso o que mostra o ranking das vendas mais caras para o exterior já efetuadas pelos 13 clubes mais importantes do Brasil (os 12 grandes tradicionais, além do Athletico-PR, que vem se juntando ao grupo nos últimos anos).

Dos quatro primeiros colocados desta lista, três são paulistas. O Santos, com a transação de Neymar para o Barcelona, que movimentou 88,2 milhões de euros (R$ 531,8 milhões, na cotação atual), ocupa a primeira colocação. São Paulo e Palmeiras aparecem na terceira e quarta posições, respectivamente.

A exceção é o Fla, que já arrecadou 45 milhões de euros (R$ 271,4 milhões) com a transferência de um único jogador, o atacante Vinícius Júnior, negociado em 2018 com o Real Madrid, e só fica atrás dos santistas.

Seus companheiros de estado, porém, ocupam a rabeira do ranking. Dos quatro piores vendedores dentre os 13 maiores clubes do Brasil, nada menos que três são do Rio.

O menos eficiente de todos é o Botafogo, cujo recorde, a transação de Vitinho para o CSKA Moscou, fechada em 2013, movimentou "apenas" 12 milhões de euros (R$ 72,4 milhões). O Fluminense é o 10º colocado, enquanto o Vasco ocupa o 11º lugar.

O intruso no meio dos cariocas é o Cruzeiro. Recém-rebaixado para a segunda divisão do Brasileiro, o time mineiro nunca faturou mais que 15,6 milhões de euros (R$ 94,1 milhões) com a venda um só jogador, marca superior apenas que a do Botafogo.

Além disso, ele é o único dos grandes clubes do Brasil cujo recorde ainda é da primeira década deste século, já que a transação do centroavante Fred para o Lyon foi fechada lá em 2005.

Por outro lado, o recorde mais recente é o do Corinthians, que bateu sua marca particular ao negociar o meia-atacante Pedrinho com o Benfica por 20 milhões de euros (R$ 120,6 milhões). O negócio já foi fechado, mas o jogador só se mudará para Portugal na próxima janela de transferências.

A MAIOR VENDA PARA O EXTERIOR DA HISTÓRIA DE CADA CLUBE

SANTOS: Neymar (2013, Barcelona), 88,2 milhões de euros
FLAMENGO: Vinícius Júnior (2018, Real Madrid), 45 milhões de euros
SÃO PAULO: Lucas Moura (2013, Paris Saint-Germain), 40 milhões de euros
PALMEIRAS: Gabriel Jesus (2017, Manchester City), 32 milhões de euros

INTERNACIONAL: Oscar (2012, Chelsea), 32 milhões de euros
GRÊMIO: Arthur (2018, Barcelona), 31 milhões de euros
ATLÉTICO-MG: Bernard (2013, Shakhtar Donetsk), 25 milhões de euros
CORINTHIANS: Pedrinho (2020, Benfica), 20 milhões de euros
ATHLETICO-PR: Bruno Guimarães (2020, Lyon), 20 milhões de euros
Renan Lodi (2019, Atlético de Madri), 20 milhões de euros
FLUMINENSE: Gerson (2016, Roma), 18,6 milhões de euros
VASCO: Paulinho (2018, Bayer Leverkusen), 18,5 milhões de euros
CRUZEIRO: Fred (2005, Lyon), 15,6 milhões de euros
BOTAFOGO: Vitinho (2013, CSKA Moscou), 12 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt

Rafael Reis