PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Mbappé é torcedor fanático do Real Madrid: verdade ou lenda?

Mbappé, aos 13 anos, abraça Cristiano Ronaldo durante visita ao Real Madrid - Reprodução
Mbappé, aos 13 anos, abraça Cristiano Ronaldo durante visita ao Real Madrid Imagem: Reprodução
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

02/04/2020 04h00

Classificação e Jogos

Kylian Mbappé é torcedor fanático do Real Madrid e, por causa disso, acabará mais cedo ou mais tarde trocando o Paris Saint-Germain pelo clube mais vitorioso da história da Liga dos Campeões da Europa.

É bem possível que, ao longo dos últimos anos, você tenha visto essa história no feed de notícias de alguma de suas redes sociais ou recebido a informação de algum colega por meio do Whatsapp.

E essa "denúncia" provavelmente veio acompanhada de provas "irrefutáveis:" duas fotos da adolescência de Mbappé, uma vestindo a jaqueta do Real e abraçado com Cristiano Ronaldo, e outra do seu quarto, repleto de pôsteres do astro português vestindo o tradicional uniforme merengue.

Mas será que o craque francês realmente é torcedor do Real? Ou tudo isso não passa de mais uma das inúmeras lendas urbanas que fazem tanto sucesso no mundo do futebol, como o autismo de Lionel Messi e a transexualidade de Marco Verratti, meia italiano que é companheiro do atacante no PSG?

Para começar, vamos falar das fotos citadas anteriormente. Não, elas não são montagens. Pelo contrário, são 100% verídicas e servem sim como prova de uma idolatria do menino Kylian. Mas o alvo desse amor não era necessariamente o clube espanhol.

"Cristiano Ronaldo foi meu ídolo de infância. Foi incrível quando pude encontrá-lo pela primeira vez", disse o atacante, em entrevista publicada pelo jornal espanhol "Marca", em dezembro de 2017.

A paixão que nutria por CR7, principal jogador do Real durante o período de adolescência de Mbappé, naturalmente fez com que ele acabasse torcendo para a equipe merengue conseguir bons resultados e conquistar títulos.

Mas o agora campeão mundial pela seleção francesa jamais misturou as coisas: o carinho que nutria por Ronaldo (e, consequentemente, pela equipe madrilena) jamais interferiu em suas escolhas profissionais.

A maior prova disso é que, quando tinha 13 anos, Mbappé foi convidado para treinar nas categorias de base do Real. Ele viajou à Espanha, tirou foto ao lado do ídolo, conheceu o Santiago Bernabéu e foi a campo. Só que preferiu voltar à França do que permanecer em Madri.

O motivo da recusa foi que ele e sua família consideraram que mudar de país naquele momento poderia prejudicar seus estudos. Pela mesma razão, eles disseram não para o Chelsea e acabaram firmando um vínculo com o Monaco, onde o atacante estreou como profissional e jogou até ser negociado com o PSG, em 2017.

Oito anos depois da visita de Mbappé ao seu centro de treinamentos, o Real continua sonhando com a contratação do atacante francês, que encabeça já há algumas temporadas sua lista de possíveis reforços.

Os rumores mais recentes sobre esse longo namoro dão conta que o clube espanhol deve "congelar" o plano de contratar o craque. Segundo o jornal "Marca", a diretoria julga inviável gastar algo entre 250 e 300 milhões de euros (mais de R$ 1,7 bilhão) por um único reforço, em um momento de crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Mas isso não significa que o Real desistiu. Mbappé ainda é o alvo preferido do presidente Florentino Pérez, que deve tentar retomar as negociações assim que o cenário econômico for mais favorável a uma transferência desse porte.

Rafael Reis