Topo

Futebol


Atlético-MG bate o Corinthians no Horto e garante permanência na Série A

Cazares foi o nome do jogo, com participação nos dois gols do Galo - Alessandra Torres/AGIF
Cazares foi o nome do jogo, com participação nos dois gols do Galo Imagem: Alessandra Torres/AGIF

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

01/12/2019 19h55

O Atlético-MG venceu o Corinthians por 2 a 1 e acabou com qualquer chance de ser rebaixado para a segunda divisão do Brasileirão. Quem foi ao estádio Independência viu uma ótima partida das duas equipes durante praticamente os 90 minutos. Ainda no primeiro tempo, o Galo saiu na frente com Cazares, mas Janderson empatou no minuto seguinte. Na etapa final, Fábio Santos, de pênalti, garantiu a vitória do Atlético.

Com o resultado, o Galo vai aos 45 pontos e não corre mais riscos de terminar o ano no Z-4, passando agora a lutar por uma vaga na próxima Sul-Americana. O Corinthians permanece com 53 e vê sua briga por uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores um pouco mais complicada. Agora, faltando só mais duas rodadas, o Atlético faz seu último jogo em casa, contra o Botafogo, mas dessa vez no Mineirão. Também na quarta-feira, o Corinthians tem mais uma partida longe de São Paulo, e visita o desesperado Ceará, no Castelão.

Quem foi bem: Cazares toma conta do jogo

Maestro do time atleticano, o camisa 10 fez de tudo. Com muita qualidade e inteligência, serviu os companheiros, sofreu o pênalti e também marcou seu gol. Indiscutivelmente, o melhor em campo. Faltando poucos minutos do fim, foi substituído e saiu ovacionado de campo.

Quem foi mal: Di Santo participa, mas faz jogo tímido

Como já tem acontecido nos jogos do Atlético, Di Santo mostrou disposição e buscou ser colaborativo em campo, mas pouco apareceu. As bolas não chegaram com frequência, mas sempre que surgiu alguma oportunidade, o atacante não conseguiu contribuir de forma efetiva e destoou dos seus companheiros no ataque.

Após erro no turno, Cleiton faz partida segura

Cleiton foi o personagem principal no jogo do primeiro turno, errando na saída de bola que culminou no gol de Gustavo, já no final da partida. Desta vez, o goleiro atleticano saiu jogando errado com o pé em alguns lances, mas não chegou a comprometer. Sem ter culpa no gol de Janderson, fez boas intervenções dentro de campo.

Atlético começa afobado, mas acorda no embalo de Cazares e Marquinhos

Nos primeiros dez minutos, parecia que o Galo não jogava no Horto. Perdido com as trocas de passes do Corinthians, o time da casa mostrou muita afobação com a bola no pé, abusando dos chutões e mal conseguindo sair para o jogo. O cenário mudou a partir do chute perigoso de Marquinhos, seguido pelo gol bem anulado de Réver. Pelo alto, Jair levou perigo ao subir sozinho no escanteio. Por terra, Cazares deixou Zé Welison na cara do gol, mas a falta de cacoete ofensivo atrapalhou o volante na finalização. Aos 20 minutos, Cazares foi presenteado por Marquinhos e bateu de primeira dentro da área para abrir o marcador. Ainda antes do intervalo, dois lances de muito perigo: Marquinhos entrou livre na área, mas não pegou forte e facilitou para o goleiro corintiano. No lance seguinte, Cássio não pegou a cabeçada de Patric, mas contou com o travessão para evitar o segundo gol atleticano.

De pé em pé, Corinthians joga leve e não sente o golpe

O Corinthians fez uma partida bem solta, dinâmica e sem medo de errar. A equipe trocou passes com qualidade e chegou bem à meta rival, sem precisar das ligações diretas e cruzamentos pelo alto. Foi assim que Gustagol chegou por duas vezes ainda no início do jogo. No meio, Pedrinho se movimentou bem e teve boa participação na organização das jogadas. Outro ponto positivo foi o equilíbrio para não se abater com o gol do Galo. Apesar de explorar bem o lado esquerdo, foi da direita que o time empatou o jogo. A jogada começou com Gabriel (muito bem na saída de bola) deixando Gustagol em ótima condição de marcar. Cleiton fez ótima defesa, mas Janderson pegou o rebote e fuzilou no ângulo. Assim como o adversário, o Corinthians também balançou as redes mais uma vez, mas o lance foi corretamente anulado por impedimento.

Jogo segue elétrico no segundo tempo e Galo passa à frente

A partida não mudou no segundo tempo e continuou muito boa. Com três toques, o Corinthians saiu para o ataque e Gustavo escorou para Clayson, que bateu de primeira, assustando demais a torcida mandante. No minuto seguinte, Cazares, mais uma vez, fez jogada individual pelo lado esquerdo, limpou a zaga e bateu com curva para a ótima defesa de Cássio. Mas o equatoriano da camisa 10 estava demais. Cazares cobrou rápido o escanteio, invadiu a área e sofreu o pênalti. Cobrador oficial do time, Fábio Santos foi para a batida e recolocou o Galo na frente. Com o jogo ainda mais aberto no final, o Atlético ainda teve outras boas chances, mas acabou muito satisfeito com o triunfo por 2 a 1.

Apagão de novo? Não dessa vez

Não é de hoje que o estádio Independência apresenta problemas na geração de energia. Dessa vez não foi diferente. Aos 32 minutos, pouco tempo depois do segundo gol atleticano, houve um novo pico de luz no setor Ismênia, onde estavam os associados Galo na Veia Black (anel inferior) e a torcida corintiana (nas cadeiras superiores). Como só alguns holofotes apresentaram um breve apagão, o árbitro Paulo Roberto não considerou a falha suficiente para pausar a partida.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2x1 CORINTHIANS

Motivo: 36ª rodada do Brasileirão
Data/Hora: 01/12/2019, às 18h (de Brasília)
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Paulo Roberto Alves (PR)
Assistentes: Victor Hugo dos Santos (PR) e Rafael Trombeta (PR)
VAR: Elmo Alves Resende (GO)

GOLS: Cazares, 18'1ºT (1-0); Janderson, 19'1ºT (1-1), Fábio Santos, 28'2ºT (2-1)
Cartões amarelos: Patric, Maicon Bolt, Fábio Santos (CAM), Gustavo (COR)
Cartão vermelho: Não teve.

ATLÉTICO-MG: Cleiton; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Jair (Otero); Cazares (Ramón Martinez), Marquinhos, Luan; Di Santo (Leonardo Silva). Técnico: Vagner Mancini.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Carlos Augusto; Gabriel, Júnior Urso (Boselli); Janderson (Vagner Love), Pedrinho e Clayson (Mateus Vital); Gustavo. Técnico: Dyego Coelho.

Futebol