Topo

Futebol


Ceará cede empate ao Athletico nos acréscimos e não se afasta da degola

Do UOL, em São Paulo

30/11/2019 20h55

Técnico novo, torcida incentivando e bom histórico em casa. Todos os elementos eram favoráveis ao Ceará, ainda mais após os donos da casa ficarem com um jogador a mais no segundo tempo, porém as inúmeras chances desperdiçadas pelo Vozão fizeram falta e o time ficou no empate por 1 a 1 contra o Athletico, em partida válida pela 36° rodada do Campeonato Brasileiro da Série A.

Curiosamente, os dois gols do jogo foram marcados na reta final da partida. O primeiro saiu com o atacante Mateus Gonçalves, aos 43 minutos, após grande jogada de Valdo. Quando a torcida do Ceará já comemorava e tudo indicava os três pontos para os donos da casa, o Athletico conseguiu empatar no último lance da partida, em jogada de escanteio, com o lateral direito Madson.

Na próxima rodada, o Ceará continuará a busca por pontos para evitar o rebaixamento para a Série B do ano que vem e terá novamente o apoio da torcida já que o clube recebe o Corinthians, uma das equipes que ainda brigam por uma vaga na Copa Libertadores da América de 2020. Já pelo lado do Athletico, que tem seu espaço no torneio continental garantido, o objetivo será terminar o ano entre os quatro primeiros colocados e para isso tentará a vitória diante do Santos, atual vice-líder do Brasileirão.

Situação do Cruzeiro

Com o resultado deste sábado, o Cruzeiro vai até São Januário, na próxima segunda-feira (02) e pode deixar a zona de rebaixamento se vencer o Vasco, podendo assim depender apenas das próprias forças. Mesmo a tarefa de vencer o clube carioca em seus domínios seja uma das mais ingratas de todo o Campeonato Brasileiro, a torcida do time mineiro começa a ver mais esperança na manutenção do time na elite nacional em 2020.

O Melhor: Fabinho

O volante do Ceará foi o "motor" da equipe, dando ritmo no ataque, servindo com precisão os atacantes (principalmente Thiago Galhardo, que desperdiçou inúmeras chances) e ajudando firme na marcação. O jogador só não ganhou maior destaque porque perdeu a chance de fazer o gol logo no começo da partida, já que o zagueiro Robson Bambu tirou a bola quase em cima da linha.

O Pior: Meio-campo do Athletico

O meio campo dos visitantes formado por Camacho, Erick, Léo Cittadini e Thony Anderson não rendeu como o esperado, e o time paranaense pouco criou ao longo do confronto, buscando um erro do Ceará para tentar chegar à meta defendida pelo goleiro Diogo Silva. Para piorar, Cittadini deixou o gramado antes dos vinte minutos do primeiro tempo, sendo que a entrada de Vitinho pouco acrescentou ao estilo ofensivo do Athletico, ainda mais pelo fato do jogador ter sido expulso aos 17 do segundo tempo.

Atuação do Ceará

O nervosismo tomou conta do Ceará nos minutos iniciais e, com isso, o time comandado pelo técnico Argel Fucks errava mais passes do que o comum, principalmente no meio campo. Só que a ansiedade incomodou apenas nos minutos iniciais e o primeiro tempo foi favorável para os donos da casa, que tiveram chances reais de abrir o marcador, tanto com Leandro Carvalho como Fabinho.

O segundo tempo foi todo dos donos da casa, que tiveram vantagem numérica, porém a falta de pontaria não tirava o zero do marcador, deixando o time tenso em campo já que os três pontos pareciam cada vez mais distantes.

Atuação do Athletico

Já com as metas do ano cumpridas, graças ao título da Copa do Brasil e a vaga para a Copa Libertadores da América, o Athletico começou mais leve a partida do que o adversário e conseguiu ter o controle do jogo. No entanto, a equipe tinha dificuldade de chegar na área defendida por Diogo Silva, principalmente pela forte marcação dos volantes do Ceará.

Na segunda etapa, a estratégia montada pelo técnico Eduardo Barros ficou condenada por causa da expulsão de Vitinho, deixando a equipe com a um menos por mais de trinta minutos.

História do Jogo

Precisando dos três pontos para aumentar a vantagem diante do Cruzeiro, o Ceará começou a partida deste sábado com mais intensidade e teve a primeira chance real do confronto, aos cinco minutos, quando Leandro Carvalho teve seu chute bloqueado na entrada da área defendida pelo goleiro Santos. Pouco depois, aos 13, os donos da casa tiveram mais uma oportunidade de abrir o placar, com Fabinho, porém Robson Bambu chegou a tempo e tirou a bola quase em cima da linha.

Só que o Athletico também tinha qualidade no ataque e Léo Cittadini, que foi substituído ainda no começo da primeira etapa, chutou com perigo na meta defendida por Diogo Silva. Quem também perdeu grande chance foi o atacante Marco Rúben, após jogada de escanteio na reta final da partida - na ocasião, a cabeçada passou perto da trave - e depois de chutar cruzado e ter o arremate defendido pelo goleiro cearense, já nos acréscimos.

Já no segundo tempo a história foi totalmente outra, com o Ceará dominando a partida e desperdiçando duas incríveis chances de abrir o marcador. Na primeira, Thiago Galhardo recebeu totalmente livre, entrou na área e chutou fraco para a defesa de Santos, sendo que tinha um companheiro de equipe do lado e que só precisaria rolar a bola para o gol. Na sequência, William Oliveira chutou cruzado e o arqueiro do Athletico precisou fazer grande defesa para evitar o gol.

Dez minutos depois, Galhardo perdeu nova oportunidade ao receber cruzamento preciso de Fabinho e cabecear nas mãos do arqueiro paranaense, irritando a torcida que aos poucos perdia a paciência.

O jogo mudou de vez aos 17 minutos da segunda etapa, quando Vitinho foi expulso após confusão envolvendo jogadores do Ceará, deixando os visitantes com um jogador a menos por aproximadamente trinta minutos. Com isso, a partida foi controlada inteiramente pelos donos da casa, mas a falta de criatividade e os erros nas finalizações não resolviam a vida do Ceará, que ficava cada vez mais tenso com o passar do tempo.

Aos 43 minutos, Mateus Gonçalves conseguiu o tão esperado gol dos donos da casa e tudo indicava que os três pontos seriam dos mandantes. No entanto, no último lance da partida, a equipe paranaense conseguiu empatar e acabar com toda a energia da torcida do Vozão.

A Torcida

Mesmo sendo um dos jogos mais importantes do Ceará no ano, a torcida do Vozão não compareceu em peso à Arena Castelão, já que diversas áreas do estádio se mostravam vazios. No entanto, os milhares que compareceram fizeram bonito e não deixaram de cantar e empurrar o time durante os noventa minutos.

Ficha técnica
Ceará 1 x 1 Athletico

Campeonato Brasileiro da Série A - 36° rodada
Local:
Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PE)
Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
VAR: Jose Claudio Rocha FIlho (SP)
Cartões Amarelos: Cristovam, Valdo, Luiz Otávio, João Lucas, William Oliveira, Mateus Gonçãlves e Thiago Galhardo (Ceará); Robson Bambu (Athletico)
Cartão Vermelho: Vitinho, aos 17 minutos do segundo tempo
Gols: Mateus Gonçalves aos 43 minutos e Madson aos 48 minutos do segundo tempo

Ceará: Diogo Silva; Cristovam, Valdo, Luiz Ótavio e João Lucas; Fabinho, William Oliveira (Ricardinho), Leandro Carvalho (Bergson), Felipe Baxola (Mateus Gonçalves) e Lima; Thiago Galhardo. Técnico: Argel Fucks

Athletico: Santos; Madson, Robson Bambu, Thiago Heleno e Abner Vinícius; Camacho, Erick e Léo Cittadini (Vitinho), Braian Romero, Marco Ruben (Lucho González) e Thonny Anderson (Rony). Técnico: Eduardo Barros

Futebol