Topo

Casagrande

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Para Leifert, a morte da Gabriela talvez não passe de uma cena de BBB

Colunista do UOL

10/07/2023 15h56

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

Vou escrever sobre duas pessoas que se assemelham na forma de ver o mundo, a sociedade. Elas se assemelham nas ideias, nos contextos do que é violência ou não.

Começando pela fala de Eduardo Bolsonaro, numa manifestação pró-armas e contra o atual governo que está colocando regras, as leis para se comprar armas, tê-las em casa e também para portá-las.

O filho do ex-presidente Jair Bolsonaro fez uma absurda comparação entre traficantes de drogas e os professores. Para esse sujeito asqueroso, ensinar um país a se desenvolver por meio da educação é o mesmo que vender drogas.

Eduardo Bolsonaro nunca fez nada em prol do Brasil, mas contra já fez diversas coisas. Temos que considerar que a família à qual pertence, porque ele é desprovido de inteligência e cultura. Por isso, é contra o ensino, a educação e a cultura. Mas é a favor das armas.

Essa fala é gravíssima e o ministro da Justiça, Flávio Dino, já pediu para a Polícia Federal investigar as falas criminosas desse cara durante discurso em um ato armamentista em Brasília.

Esperar o que de bom de alguém que já se achou competente o suficiente para ser embaixador do Brasil em Washington (EUA), dando como exemplo as suas habilidades para fazer hambúrgueres?

O outro péssimo personagem — já citado outras vezes — é conhecido por seus péssimos conceitos e valores: Tiago Leifert. Vocês lembram que durante a Copa do Qatar provei que ele mentia sobre mim?

Desta vez ele, arranjou argumentos particulares e nojentos para justificar e favorecer torcedores do Flamengo em relação à morte da jovem palmeirense Gabriela Anelli.

Enquanto os pais, os avós, irmão e amigos estão passando por um sofrimento enorme pela perda inesperada e violenta da garota de 23 anos, o Sr. Tiago Leifert consegue, de uma forma asquerosa, colocar a vítima como uma das responsáveis pela violência entre as torcidas palmeirenses e flamenguistas.

Esse cidadão é frio e calculista, sem sentimento algum por ter a coragem de defender torcedores que matam alguém na porta ou nas dependências do estádio.

Tanto faz a diferença, Tiago Leifert.

Se a Gabriela estava fora ou dentro, ela continua sendo a vítima. Ela morreu devido a uma briga de torcida. Você tem a cara de pau de vir defender esses torcedores do Flamengo?

Ele não tem nenhuma menção de sentimento e preocupação com os familiares da Gabriela. Nenhuma lamentação pelo ocorrido, nenhuma dor pela morte de uma jovem. Mas ele tem uma teoria própria para justificar um assassinato na porta do Allianz Parque.

Horas depois, o Tiago gravou um vídeo pedindo desculpas pelas suas falas. Essa atitude, no entanto, não convence ninguém. Se não tinha a informação correta, por que deu uma opinião daquela? Não mudo em nada sobre o que escrevi aqui. Ele só gravou o vídeo porque está sendo super criticado no Twitter.

Diferentemente do Eduardo Bolsonaro, o Tiago Leifert tem cultura, é super inteligente e sabe muito bem o que está falando. E isso me deixa ainda mais assustado.

Eu lamento muito o que os professores tiveram que ouvir de uma pessoa perversa e sem a mínima noção, a qual é o Eduardo Bolsonaro. Assim como lamento e peço desculpas aos familiares da Gabriela Anelli por ter que ouvir, em meio a tanta dor, as justificativas também perversas do Tiago Leifert.

É inacreditável como tem gente que ainda não percebeu a péssima visão da vida e da sociedade que possui.

Para o Tiago, a vida talvez não passe de um Big Brother.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL