PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

Gallardo elogia ataque do Palmeiras: "Perigoso e candidato ao título"

Marcelo Gallardo em entrevista coletiva - Divulgação CARP
Marcelo Gallardo em entrevista coletiva Imagem: Divulgação CARP
Conteúdo exclusivo para assinantes
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

17/12/2020 07h59

Marcelo Gallardo está a 90 minutos de chegar à quarta semifinal seguida na Libertadores da América. O maior técnico da história do River Plate volta a campo hoje (17), às 21h30 (de Brasília), com um 2 a 0 no bolso para enfrentar o Nacional em Montevidéu e encerrar sua série nas quartas de final.

A coluna acompanhou nesta quarta a sua entrevista coletiva concedida em Buenos Aires e percebeu o técnico descontraído, confiante e contemplativo, abordando com naturalidade e inteligência os mais diferentes assuntos - entre eles, o alto nível do Palmeiras, adversário na semifinal da Copa caso a noite termine com a (bem encaminhada) classificação do River.

"Vi o jogo do Palmeiras, foi equilibrado até a expulsão", afirmou Gallardo, citando o cartão vermelho recebido por Ivan Piris, do Libertad, aos 19 do segundo tempo, quando o Palmeiras vencia por 1 a 0 - o jogo terminou 3 a 0. "É um time brasileiro, que ganhou todas as partidas até aqui, e um rival perigoso pela maneira que ataca. Está dentro das boas equipes com chances de ganhar a Libertadores", concluiu, se esquecendo que o Alviverde empatou com o Libertad na ida das quartas e com o Guaraní na fase de grupos.

Falar sobre o rendimento de um possível adversário antes de definir sua situação não soou imprudente ou soberbo para ninguém, e sim como uma análise natural e sem estridências. Nesses seis anos e meio à frente do River, Gallardo virou referência nos discursos públicos, e ele só não fica multimilionário com palestras porque não quer. Sua familiaridade com as palavras é tão respeitada que até Alberto Fernández, presidente do país, quis escutá-lo ao estudar como seria a volta do futebol na Argentina.

Citar as dificuldades de 2020 não deprime Gallardo - pelo contrário, ele usa a complicação para exaltar ainda mais o feito do seu time: "O que os jogadores estão fazendo é mesmo admirável. Somos medidos de maneira diferente, pelo nosso passado, e mesmo assim estamos a um passo de mais uma semifinal, o que valorizo muito. Sofremos demais ficando quase seis meses sem treinar, outros times também sofreram com outras coisas, mas só com um elenco muito profissional, com os jogadores treinando em suas casas, é que seria possível estar onde estamos".

O River que joga nesta noite deve ter uma única mudança do time que foi a campo no 2 a 0 da semana passada. Com lombalgia, o volante-armador-pulmão do time Nacho Fernández está fora, dando lugar a Bruno Zuculini, autor do gol que selou a vitória ante o Nacional. Enzo Pérez segue afastado por covid-19.

Os titulares de Gallardo no Gran Parque Central serão: Armani; Montiel, Rojas, Díaz e Angileri; Ponzio, Zuculini, De La Cruz e Carrascal; Borré e Suárez.