PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Pietro Fittilpaldi visita Bolsonaro após governo aprovar R$ 9,4 milhões

Jair Bolsonaro e Pietro Fittipalidi em Brasília - Divulgação/PR
Jair Bolsonaro e Pietro Fittipalidi em Brasília Imagem: Divulgação/PR
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

26/01/2021 12h18

O piloto Pietro Fittipaldi, que em dezembro foi o responsável por recolocar o automobilismo brasileiro no grid da Fórmula 1, almoçou ontem (25) com o presidente da República, Jair Bolsonaro. O jovem de 24 anos, neto do bicampeão Emerson Fittipaldi, tirou fotos ao lado de Bolsonaro, ambos sem máscara, o que desrespeita as orientações de distanciamento social feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Pietro foi levado ao encontro de Bolsonaro pelo secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães. O piloto está em busca de patrocínios para continuar na elite do automobilismo. Em dezembro, a Secretaria comandada por Marcello aprovou autorização para que a "Associação Brasileira de Pilotos de Automobilismo", ligada ao kartódromo da Granja Viana, capte R$ 4,9 milhões para bancar o projeto de Pietro na Fórmula 1.

Dois meses antes, em outubro, a pasta havia aprovado projeto para que outro Fittipaldi, Enzo, irmão de Pietro, siga no automobilismo com recursos públicos. Proposto pela entidade sem fins lucrativos Kart Clube Granja Viana, o projeto de nome "Ano 1 - Enzo Fittipaldi - Fórmula 3", recebeu autorização para captar R$ 4,5 milhões. No total, o governo aprovou uma renúncia fiscal de R$ 9,4 milhões em favor dos irmãos Fittipaldi.

"Nossa função aqui é apoiar o esporte como um todo e tentar abrir as portas para voltarmos a ter um nome forte dentro da F1", comentou, sobre o encontro, o secretário Marcelo Magalhães, em declaração reproduzida pelo site do Ministério da Cidadania. O texto divulgado pelo governo não cita a aprovação de um projeto para a carreira de Pietro por parte do próprio governo.

"É uma honra poder fazer essa visita e ter a chance de conhecer o presidente do Brasil. Foi uma grande oportunidade para mim e quis entregar um capacete para o presidente em homenagem ao país e também ao secretário Marcelo", também em declarações reproduzidas pelo governo. "Os planos para 2021 ainda não estão finalizados. Para mim, o ideal seria continuar com um pé na F-1, como terceiro piloto. Pode ser na Haas ou em outra equipe, mas também correr, que é muito importante para me manter ativo", continuou. Pietro encontrou Bolsonaro acompanhado do pai, o empresário Carlos Agostinho Pires da Cruz, conhecido como Gugu da Cruz.