PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Flamengo joga para repetir futebol e ganhar Libertadores do basquete

Jogadores do Flamengo convocados para a seleção - Divulgação
Jogadores do Flamengo convocados para a seleção Imagem: Divulgação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

30/10/2020 04h00

Paralisada em março, a temporada 2019/2020 do basquete ainda não acabou para o Flamengo. A equipe rubro-negra volta às quadras hoje (30), partir das 20h pelo horário de Brasília, para o jogo mais importante do ano e da temporada prestes a terminar. Os comandados pelo técnico Gustavo De Conti enfrentam o argentino Quimsa, em Montevidéu, no Uruguai, em jogo único valendo o título da Champions League América, equivalente à Libertadores do basquete. A partida terá transmissão do DAZN.

O Fla estava invicto na Champions League quando a competição foi paralisada, em março, por causa da pandemia. Mais do que isso: ao anunciar a suspensão de todos os seus campeonatos ao redor do mundo, a Federação Internacional de Basquete (Fiba) avisou que o último jogo antes da paralisação global seria a semifinal entre Flamengo e Instituto Córdoba, no Maracanãzinho. O time brasileiro ganhou, fechou a série em 2 a 0 e ficou esperando uma definição sobre quando, onde e contra quem seria a decisão.

A outra chave semifinal só foi decidida na última terça, quando o Quimsa venceu o San Lorenzo em Buenos Aires e fechou a série em 2 a 1. Por conta da pandemia, a Fiba América optou por uma final em jogo único e em campo neutro, em Montevidéu. Os dois finalistas, porém, têm pouco ritmo de jogo e se prepararam só com amistosos. O Fla ainda jogou o Carioca, mas contra times muito mais fracos.

"Considerando essa questão da pandemia, é claro que a preparação não foi igual a de uma temporada regular. Até porque a gente jogaria um jogo como esse no meio ou no final, e não no início. Dentro das possibilidades, nós fizemos um ótimo trabalho. Disputamos partidas contra equipes de NBB, nossos treinos são sempre em ritmo de jogo, tivemos todos os jogadores desde o início, então, estamos prontos para a final", comentou o técnico Gustavo De Conti.

Basquete: Técnico do Fla comenta preparação do time para Champions League América

Esta é a primeira edição do Champions League América, torneio organizado pela FIBA América (braço americano da FIBA) e que substitui a antiga Liga das Américas. O Flamengo chegou a vencer a Liga das Américas em 2014, jogando a final em casa. Depois, Bauru (2015), o venezuelano Guaros de Lara (2016 e 2017) e o San Lorenzo (2018 e 2019) foram últimos campeões.

Como a decisão será já no transcorrer da temporada 2020/2021, a Fiba América permitiu que os clubes ainda vivos na competição inscrevessem novos atletas, renovando o elenco. O Flamengo se valeu disso e terá, entre outros, o reforço de Yago. "O título vai ser decidido nos detalhes. O Quimsa tem jogadores experientes, é um time perigoso, com ótimo aproveitamento na linha dos três e forte no garrafão, precisamos impor uma defesa forte. Treinamos bem, nos preparamos muito para esse momento. Estamos confiantes em fazer um grande jogo e trazer esse título na bagagem, um dos principais objetivos da temporada", disse o ex-jogador do Paulistano.