PUBLICIDADE
Topo

Carol Solberg volta ao vôlei de praia com vitória após polêmica

Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

16/10/2020 11h47

Advertida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do vôlei, Carol Solberg pôde continuar sua trajetória no vôlei de praia. Quase um mês depois da polêmica fala "Fora, Bolsonaro" após uma partida na primeira etapa no Circuito Brasileiro, ela voltou às quadras hoje (16) na segunda etapa, no mesmo local, em Saquarema (RJ).

A competição começou ontem, com o qualifying, mas o primeiro jogo da dupla Carol/Talita foi só hoje porque, pelo ranking, elas têm direito a vaga direta na fase de grupos. E, no primeiro jogo, elas venceram Tory/Ana Luiza por 2 sets a 0, com parciais de 21/10 e 21/17. Cada grupo conta com quatro duplas e Carol e Talita ainda enfrentam Andressa/Vitoria e Taiana/Paula Pequeno. O segundo jogo será às 15h10.

As três primeiras etapas da temporada estão programas para acontecerem no CT do vôlei, na cidade do litoral sul do Rio, sem a presença de público e de imprensa. Como o centro de treinamento tem alojamento, a competição acontece em formato de bolha, com todos os envolvidos sendo testados antes de entrar no CT. À medida que as jogadoras vão sendo eliminadas, elas vão deixando o local.

Denunciada ao STJD pela fala "Fora, Bolsonaro" após a partida que valeu o bronze na primeira etapa, transmitida pelo SporTV, Carol poderia ser suspensa por até seis etapas. No julgamento ocorrido na terça-feira, porém, só um dos cinco auditores votou a favor de suspensão, de uma etapa. Carol acabou multada, com punição revertida em advertência.