PUBLICIDADE
Topo

Sheilla deixa o Brasil e vai jogar em nova liga dos EUA

Sheilla Castro, jogadora de vôlei - Elsa/Getty Images
Sheilla Castro, jogadora de vôlei Imagem: Elsa/Getty Images
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

14/10/2020 04h00

A bicampeã olímpica Sheilla vai mesmo jogar nos Estados Unidos na próxima temporada. A atacante da seleção brasileira de vôlei, aos 37 anos, anuncia hoje (14) que é uma das 44 atletas que irá disputar a primeira edição de uma nova liga profissional norte-americana, a Athletes Unlimited Volleyball.

"Estou animada para participar do Athletes Unlimited Volleyball e para jogar nos Estados Unidos. O nível da competição e dos treinamentos vai me preparar para eu ter a chance de disputar a minha quarta Olimpíada em 2021", comentou a veterana, que em 2018 chegou a fazer uma pausa na carreira para dar a luz a duas meninas, gêmeas.

Apesar de ser uma potência no vôlei, os Estados Unidos não tem uma liga profissional da modalidade e seus principais jogadores, depois de deixarem a universidade, saem para jogar profissionalmente em outros países, como o Brasil. Na tentativa de reverter esse cenário foi criada essa liga, que é parceira estratégica da USA Volleyball, a federação norte-americana de vôlei.

O modelo de competição é muito diferente do vôlei tradicional, com clubes. "As jogadoras pontuam individualmente de acordo com as vitórias dos times, performances individuais e, por fim, se consagrarão campeãs na disputa coletiva. Pontos podem ser conquistados em cada jogada, e a tabela de classificação muda constantemente. As equipes mudarão a cada semana, com as quatro atletas melhores classificadas atuando como capitãs para formar seus times", explica a liga.

A competição, entre 26 de fevereiro e 4 de abril, em Nashville (Tennessee), vai contar com outras atletas de ponta, como as medalhistas olímpicas Jordan Larson e Karsta Lowe. Por enquanto, Sheilla é a única brasileira anunciada. Esta será apenas a terceira experiência da carreira profissional da bicampeã olímpica, que jogou na Itália entre 2004 e 2008 e na Turquia entre 2014 e 2016. Na temporada passada ela defendeu o Minas Tênis Clube.

+ Acompanhe o que mais importante acontece no esporte olímpico pelos perfis do Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram. Segue lá! +